LOADING

Type to search

[:pt]O concurso público da China aumenta exigências médicas[:]

Share

[:pt]

A meritocracia como política de admissão de agentes do Estado chinês, realizada por meio de concurso público, é tradição na China e tem origem nos Exames Imperiais, fundados no ano de 605 e extintos em 1905. O último estágio dos Exames Imperiais era o Exame de Palácio, realizado na presença do próprio Imperador. Atualmente, está em vigor o Exame Yuan, a comissão de serviço civil que abrange tanto o Ministério da Verificação, o concurso público de funcionários do governo, e o Ministério de Pessoal, de controle desses funcionários. É a agência de governo civil da China.

Informes esparsos sugerem uma tendência de admissão somente de funcionários comprovadamente saudáveis, provavelmente para diminuir despesas com licenças médicas e pensões. No exame médico admissional da cidade de Pequim, por exemplo, geralmente os candidatos foram informados sobre os resultados do exame físico, com recomendação de consulta a um profissional da área de saúde. Os candidatos qualificados foram aqueles aprovados no concurso público e com saúde e condicionamento físico para estudar em escolas secundárias, técnicas e profissionais diversas. Esses candidatos podem escolher livremente onde estudar, inclusive academia militar e academia de polícia – mediante consulta dos militares –, conforme os padrões médicos das academias militares e de polícia. Candidato “qualificado, porém, limitado” é aquele com condição física, mas que apresenta histórico de doenças que recomendam a não admissão nos termos das disposições estabelecidas para pensionistas.

A possível preocupação do Governo de Pequim em diminuir o déficit público é concomitante à implementação, a ocorrer a partir do outono de 2017, da mudança no sistema educacional da China, para incluir na grade curricular obrigatória do ensino médio, além do chinês, a matemática, língua estrangeira – preferentemente o Inglês –, ideologia política, história, geografia, física, química, biologia, educação física e saúde, arte, tecnologia de comunicação, tecnologia geral e outras 13 matérias. Em uma economia predominantemente estatista, apesar de já está diversificada em alguns lugares, com um sistema previdenciário dos servidores públicos com mais benefícios que o sistema geral da população, o Governo enfrenta o desafio de diminuir o déficit público ao mesmo tempo que desenvolve uma força-de-trabalho nacional mais adequada a um ambiente de negócios globalizado.

———————————————————————————————–                    

Imagem 1O último estágio dos Exames Imperiais era o Exame de Palácio, realizado na presença do próprio Imperador” (Fonte):

https://pt.wikipedia.org/wiki/Exames_imperiais

Imagem 2Alunos da Escola Primária Experimental do Centro de Administração Distrito de Haidian experimentam um dispositivo de tecnologiawearable’ (vestível)” (Fonte):

http://chuansong.me/n/1445875652430

[:]

Marcelo de Montalvão - Colaborador Voluntário

Graduado em Direito (2000) pela Universidade da Amazônia, é diretor da Montax – Inteligência & Investigações e autor de Inteligência & Indústria – Espionagem e Contraespionagem Corporativa. Pesquisa Marketing de serviços, Guerra Econômica, Economia Política e áreas afins. Como Advogado criminalista, tem foco em ações antilavagem de dinheiro para Recuperação de ativos desviados de fraudes.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.