LOADING

Type to search

Share

No fim de semana do dia 7 de junho (2018), ocorreu, no Canadá, a 44ª Cúpula do Grupo dos Sete (G7), marcado pela presença dos líderes das 7 maiores economias mundiais[1] e da União Europeia. Nesse Encontro, que ocorre anualmente, discute-se as principais questões econômicas dessas nações e do resto do mundo, além de também ter em pauta assuntos sociais e de política internacional.

Foto oficial dos líderes presentes na 44ª Cúpula do G7

Dessa forma, a agenda desse Evento abordou assuntos desde aqueles referentes às mudanças climáticas até a questão do avanço da luta pela igualdade de gêneros. Entretanto, houve um tema em particular que levantou controvérsias: o possível retorno da Federação Russa ao G7. Em 1998, a Rússia foi admitida oficialmente como um membro do Grupo, o qual, na época, passou a ser chamado de G8. Entretanto, a partir dos acontecimentos de 2014[2], o Grupo decidiu que não era possível negociar com os russos, suspendendo a participação deles e voltando a se chamar G7.

Mesmo em vista desse histórico conturbado, o Presidente norte-americano, Donald Trump, levantou a discussão sobre a possível volta da Rússia, afirmando o seguinte: “A Rússia deveria estar nessa reunião, por que teremos uma reunião sem a Rússia? Goste ou não, e pode ser que não seja politicamente correto, precisamos lidar com os assuntos globais”. Tal declaração foi recebida positivamente pelo Primeiro-Ministro italiano, Giuseppe Conte.

Em contrapartida, os outros líderes discordaram. O Primeiro-Ministro canadense, Justin Trudeau, afirmou: “o retorno da Rússia a esse formato não é o que nos interessa agora”. Além disso, a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, destacou que para que ocorra o retorno da Federação Russa é preciso que haja progressos consideráveis em relação à questão da Ucrânia, afirmando que isso só ocorrerá se houver a implementação de fato do Protocolo de Minsk[3].

Sergey Lavrov, o Ministro das Relações Exteriores da Federação Russa

Do outro lado do globo, a própria Rússia comunicou oficialmente sua posição ao retorno do modelo G8. De acordo com o Ministro das Relações Exteriores, Sergey Lavrov, a Federação Russa nunca pediu para ser aceita de volta ao G7. Em realidade, segundo Lavrov, o país está trabalhando em canais de discussão com outros formatos, como a Organização para a Cooperação de Xangai[4], o BRICS[5] e o G20[6].

Assim, a Cúpula do G7 seguiu sem atender ao pedido de Trump. Ficou claro que a maioria dos países membros não vê esse assunto como prioridade no momento. Além disso, a Rússia está focada em outros tipos de cooperação que atendam melhor aos seus interesses políticos e econômicos.

——————————————————————————————————

Notas:

[1] Os 7 membros do G7: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

[2] Em 2014, a Federação Russa anexou a Crimeia, região que pertencia à Ucrânia.

[3] O Protocolo de Minsk é um acordo realizado entre a Ucrânia, a Rússia, a República Popular de Donetsk e a República Popular de Lugansk. Tinha como objetivo principal a implementação do cessar-fogo, no entanto, este fracassou.

[4] A Organização para a Cooperação de Xangai é uma organização política, econômica e militar que tem como membros a China, o Cazaquistão, o Quirguistão, a Rússia, o Tadjiquistão e o Uzbequistão.

[5] O BRICS é um grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, as principais economias emergentes do mundo.

[6] O G20, mais conhecido como Grupo dos 20, é formado pelas 19 maiores economias do mundo (África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, Coreia do Sul, Estados Unidos, França, Índia, Indonésia, Itália, Japão, México, Reino Unido, Rússia e Turquia) e a União Europeia. Tem como objetivo facilitar a negociação internacional.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Logo oficial da 44ª Cúpula do G7 na cidade de La Malbaie, em Quebec, no Canadá” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/44th_G7_summit#/media/File:2018_G7_Logo_CYMK.jpg

Imagem 2 Foto oficial dos líderes presentes na 44ª Cúpula do G7” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/2/20/44th_G7_Summit_Group_Photo.jpg/220px-44th_G7_Summit_Group_Photo.jpg

Imagem 3 Sergey Lavrov, o Ministro das Relações Exteriores da Federação Russa” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/e/e1/Sergey_Lavrov_February_2016.jpg/240px-Sergey_Lavrov_February_2016.jpg

Isabela Joia - Colaboradora Voluntária

Bacharela em Relações Internacionais pelas Faculdades de Campinas (FACAMP) e atual graduanda em Ciências Econômicas pela mesma instituição. Participou da Newsletter do Centro de Estudos de Relações Internacionais (CERI) da FACAMP como redatora e corretora de artigos. Fez sua tese de conclusão de curso sobre as relações diplomáticas entre a Rússia e os Estados Unidos no pós Guerra Fria. Tem grande paixão pela escrita e por assuntos relacionados à Segurança Internacional e Diplomacia.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.