LOADING

Type to search

O premiê Recep Erdogan diz que a Turquia apoiará operação militar na Síria sem a aprovação do “Conselho da Segurança da ONU”

Share

O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apontou que o seu país vai apoiar uma eventual ação militar contra a Síria mesmo que sem a aprovação do “Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU)”[1]. Erdogan notou que ao longo dos últimos dois anos e meio mais de 100.000 pessoas foram mortas na Síria, outros 2 milhões foram forçados a deixar seu lar e, recentemente, nos subúrbios da capital Damasco foram usadas armas químicas. “A ONU tinha que ser a ferramenta mais eficaz para resolver o problema, mas a organização ficou calada[1], destacou Erdogan. O Premiê turco deixou claro ainda que se a ONUnão toma qualquer decisão ou ação[1], a Turquia irá apoiar “qualquer iniciativa internacional que vá ajudar com que a tragédia acabe. Se até agora não fizemos os passos concretos, os assassinatos na Síria continuaram[1],concluiu Erdogan. O Primeiro-Ministro turco advertiu também que uma ação militar limitada contra o regime sírio, como a sugerida pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai aumentar as dificuldades do país.

Erdogan declarou que a possível ação será ilimitada e semelhante a que foi realizada em Kosovo*, em 1998 e 1999, e afirmou que se ela ocorrer limitada no tempo e no âmbito da operação, ela não satisfará a Turquia[2].

Nesta segunda-feira, dia 2 de setembro, o Premiê da turco se reuniu com Nedjdet Yozel, comandante do Estado-Maior do exército turco, e também com membros do comando de tropa. Durante a reunião no escritório do primeiro-ministro em Ancara, foi discutida a situação na Síria e a opcional ação militar internacional com a participação do seu país[3]. Ressalte-se que a Turquia é membro da “Organização do Tratado do Atlântico Norte” (OTAN) e um ex-aliado do regime em Damasco.

—————————-

* A expressão Guerra do Kosovo”, ou Conflito do Kosovo” é usada para descrever dois conflitos armados em sequência, ocorridos na província Sérvia. Os conflitos foram:

–        19961999: Conflito entre forças de segurança sérvias e iugoslavas e o “Exército de Libertação do Kosovo” (ELK). Foi uma guerrilha formada por integrantes de origem étnica albanesa que lutavam pela independência da província.

–        24 de Março10 de Junho de 1999: Guerra entre a Iugoslávia e a “Organização do Tratado do Atlântico Norte” (OTAN). Quando a OTAN atacou alvos iugoslavos, seguiram-se os conflitos entre a guerrilha albanesa e as forças sérvias e formou-se um grande número de refugiados.

————————-

Imagem (Fonte):

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Tayyip_Erdo%C4%9Fan.JPG 

————————-

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.vesti.bg/temi-v-razvitie/tema-krizata-v-siriia/erdogan-operaciia-v-siriia-i-bez-sankciiata-na-oon-5992817

[2] Ver:

http://www.standartnews.com/svyat-svyat/erdogan_udar_v_siriya_kato_v_kosovo-202759.html

[3] Ver:

http://www.haber8.com/siyaset/erdogan-komuta-kademesi-ile-gorusuyor/haber-186696  

Enhanced by Zemanta
Tags:
Wladimír Tzinguílev - Bulgária

De nacionalidade Búlgara, é Mestre em Segurança Corporativa (2012) pela Universidade de Economia Nacional e Mundial (UNSS, Sófia). Atua na área de Segurança Pública, Segurança Corporativa e Diplomacia Corporativa com foco nos países do Leste Europeu, sendo referência em questões relacionadas a Península Balcânica, Turquia e Rússia. Atualmente é jornalista e editor de notícias internacionais da Televisão Nacional da Bulgária (BNT).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.