LOADING

Type to search

Share

Desde 1986 não havia uma visita oficial do Chefe de Estado espanhol ao Reino Unido.  Após 30 anos, ambas as casas reais voltaram a se encontrar na semana passada, com o objetivo de estreitar laços entre as duas nações, após o início do Brexit (processo de saída do Reino Unido da União Europeia). A Espanha foi representada pelo Rei Felipe VI e a Rainha Consorte, Dona Letizia Ortiz; já o Reino Unido foi representado pela Rainha Elizabet II e toda a família real britânica. As duas coroas – concorrentes em um passado já distante – possuem pontos de interesse e de atrito.

O Reino Unido é o maior destino dos investimentos espanhóis dentro da Europa, já a Espanha é o segundo país que mais recebe divisas britânicas. O maior grupo de visitantes do país ibérico são os britânicos. A título de exemplo, somente no ano passado (2016) mais de 17,8 milhões visitaram a Espanha. A balança comercial entre estes países supera os 30 bilhões de euros, sendo a mesma positiva para Espanha, com uma pauta de produtos bastante diversificada. Por último, o Reino Unido é um dos principais destinos para jovens profissionais e estudantes espanhóis.

Sendo assim, a relação entre os dois Estados vai além dos interesses da União Europeia e ela é importante para as duas nações, mesmo após uma ruptura do Reino Unido com o Bloco europeu.

Enclave de Gibraltar (Reino Unido) ao sul da Espanha

Por outro lado, a situação de Gibraltar – Um pequeno enclave britânico em território espanhol – além da situação dos imigrantes espanhóis no Reino Unido, e vice-versa, são os pontos de atrito que ambas Coroas tratam de suavizar como se de um problema familiar se tratasse. Enquanto isso, na Espanha, o processo de independência da Catalunha continua em discussão e o Governo da região autônoma já convocou um plebiscito de caráter oficial para a cisão definitiva do território. No Reino Unido, as tensões com a Escócia também são crescentes, embora, de momento, sem a mesma expressão política que existe na Espanha.

Durante a visita oficial, a mídia de ambos os países deixou em segundo plano os acontecimentos nacionais e internacionais e se focaram nos eventos organizados pela família real, tais como os desfiles de carruagens, os bailes e as festas para nobreza e para um grupo de empresários das maiores empresas da Espanha.

Foi uma visita que aconteceu em plena época de mudanças na União Europeia e no mundo, mas que ao mesmo tempo nos remete a um passado perene da própria região, quando o povo discutia os acontecimentos da nação, mas as decisões eram tomadas nas altas esferas da realeza. E, mesmo que, hoje, as famílias reais sejam mais simbólicas e tenham menos poder, ainda assim são um importante ingrediente no softpower das nações e revelam uma Europa em mudança, mas que não renega do seu passado, e onde os símbolos antigos se chocam com as novas instituições, gerando no subconsciente coletivo o que Europa sempre foi e o que será.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Desfile em Londres do Rei Felipe VI, na carruagem com a Rainha Elizabet II” (Fonte):

http://www.eliberico.com/cientos-de-personas-reciben-a-los-reyes-de-espana-a-las-puertas-de-buckingham.html#prettyPhoto/0/

Imagem 2Enclave de Gibraltar (Reino Unido) ao sul da Espanha” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/a/a9/The_Port_of_Gibraltar_%28Aerial_View_from_the_North_West%29.jpg

Wesley S.T Guerra - Colaborador Voluntário Sênior

Atua como consultor internacional na área de Paradiplomacia para o Escritório Exterior de Comércio e Investimentos do Governo da Catalunha. Formado em Negociações e Marketing Internacional pelo Centro de Promoção Econômica de Barcelona, Bacharel em Administração pela Universidade Católica de Brasília, especialista pós-graduado em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP, MBA em Novas Parcerias Globais pelo Instituto Latinoamericano para o Desenvolvimento da Educação, Ciência e Cultura e mestrando em Polítcias Sociais em Migrações na Universidad de La Coruña (España). Fundador do thinktank NEMRI – Núcleo de Estudos Multidisciplinar das Relações Internacionais. Especialista em paradiplomacia, acordos de cooperação e transferência acadêmica e tecnológica, smartcities e desenvolvimento econômico e social. Morou na Espanha, Itália, França e Suíça.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!