LOADING

Type to search

Share

No último dia 16 deste mês (junho), o Serviço de Segurança da Suécia (Säkerhetspolisen/SÄPO), ligado à Junta Nacional de Polícia, que é responsável pela prevenção ao terrorismo e segurança nacional do Estado, divulgou a informação de um crescimento exponencial no quantitativo de notificações de ameaças extremistas, as quais saltaram da média de 2.000 para 6.000 mensais. O fluxo é variável e abrange desde notícias sobre questões públicas e de internet até o compartilhamento com agências estrangeiras.

Gotemburgo, Brunnsparken

Os suecos enfrentam um grande desafio que se intensificou após os conflitos no Iraque e na Síria e, especialmente, com a propaganda do Estado Islâmico. A mensagem extremista costuma atingir os subúrbios não só da capital Estocolmo, como também os de Gotemburgo, Malmo e Örebro, com o objetivo de promover o recrutamento e a arrecadação de fundos por pessoas sensíveis à mensagem propagada.

A questão é encarada a partir de duas perspectivas básicas: a primeira reflete uma compreensão social de falha de integração de grupos muçulmanos que, aparentemente, não conseguiram adaptar-se aos valores seculares tão defendidos pela sociedade sueca; e a segunda diz respeito à vertente islâmica do Wahhabismo*, a qual postula uma vivência religiosa pautada em princípios ortodoxos, ou seja, com a intenção de estimular ações de restauração de um culto puro a divindade.

Em dias pretéritos demorava-se muito para planejar e executar um ataque terrorista, mas, atualmente, os meios encontram-se mais fáceis para a realização de um ato. O Diretor-geral e Chefe da SÄPO, Anders Thornberg, relatou para o Jornal Göteborgs-Posten que: “Hoje, eles têm uma ideia, então talvez você compre duas facas ou alugue um caminhão e corra em direção a uma multidão. Temos que trabalhar mais rapidamente, temos que trabalhar mais em torno do relógio […] Temos que fechar as lacunas que existem”.

Já o Jornal Expressen salientou as palavras do Ministro do Interior da Suécia, Anders Ygeman, sobre a situação: “Nós aumentamos o orçamento do Serviço de Segurança nos últimos três anos, a última vez, com mais de 200 milhões [de coroas suecas]. Temos um diálogo estreito com o Serviço de Segurança para garantir que eles tenham os recursos financeiros necessários para combater o extremismo violento e o terrorismo”.

Tem sido um consenso que a hipótese de carência de integração dos segmentos populacionais muçulmanos à sociedade não é satisfatória para explicar a ampliação de notificações terroristas, e mesmo o caso do aumento de nichos extremistas na Suécia. Também tem sido consenso a necessidade de diminuir posturas que impedem maior ações de segurança, cabendo as autoridades atuarem com maior atenção para evitarem os perigos dos extremistas.

———————————————————————————————–

* O Wahhabismo é uma doutrina islâmica criada por Muhammad ibn al-Wahhab’Abd no século XVIII com o propósito de reformar o Islamismo, visando resgatá-lo às suas origens. Na sociedade ocidental é visto como um impulsionador do terrorismo devido ao seu caráter totalitário e como movimento desagregador do mundo muçulmano, já que considera os muçulmanos não wahhabistas como apóstatas.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1 Estocolmo, cidade velha” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/archive/9/9b/20050605184331%21Stockholm_old_town_2002.jpg

Imagem 2 Gotemburgo, Brunnsparken” (Fonte):

https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/0/0c/Brunnsparken_G%C3%B6teborg.jpg

Bruno Veillard - Colaborador Voluntário Júnior

Mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia e Política (PPG-SP), e Bacharel em Relações Internacionais pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro vinculado a Universidade Cândido Mendes (IUPERJ/UCAM). Atua na produção de notas analíticas e análises conjunturais na área de política internacional com ênfase nos países Nórdico-Bálticos e Rússia.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.