LOADING

Type to search

“Partido Trabalhista” perde eleições na Noruega

Share

Após oito anos no comando do país o atual Primeiro-Ministro da Noruega, Jens Stoltenberg, e o seu Partido dos Trabalhadores, perderam as eleições parlamentares que ocorreram no último dia 9 deste mês. Uma coligação liderada por Erna Solberg, do Partido Conservador, saiu vitoriosa ao adquirir 96 assentos no Parlamento, de um total de 169 – a coligação liderada por Stoltenberg obteve o direito de ocupar 72 assentos[1].

O resultado das eleições surpreendeu inúmeros observadores, uma vez que o Governo de Stoltenberg obteve um considerável sucesso em suas políticas econômicas, elevando as taxas de crescimento e diminuindo, drasticamente, o desemprego no país. Impulsionada pelas altas reservas de petróleo e gás no “Mar do Norte”, a economia do país destacou-se perante os demais países europeus assolados pela crise.

Para Johannes Berg, do “Instituto de Pesquisa Social de Oslo”, a vitória do Partido Conservador resulta de uma certa fadiga com o atual governo, que esteve no poder “por oito anos, o que é bastante singular na história recente deste país. E o fato de que nós estamos fazendo tão bem agora pode ser um bom motivo para as pessoas mudarem o governo, porque agora nós não estamos em crise, não estamos em uma situação difícil. Portanto, este pode ser um bom momento para tentar algo novo[2].

A eleição parlamentar deste mês foi a primeira após os ataques deferidos por Anders Behring Breivik, matando 77 pessoas, em 2011. Breivik, que deixara o “Partido Conservador” alegando que este estava adotando políticas mais amenas, atacou a sede e um acampamento de verão do “Partido Trabalhista”. Para alguns analistas, os ataques de 2011 exerceram um significativo impacto no eleitorado norueguês.

Erna Solberg afirmou que irá iniciar as negociações com o Partido Progressista” (PP) para concretizar seu governo de coligação. O principal entrave entre as partes consiste nas duras políticas anti-imigrantes propostas pelo PP, que já foram amenizadas após os ataques de 2011. Solberg demonstrou-se confiante com as negociações e, em relação a este entrave, afirmou que “há algumas de suas propostas que discordamos. Não acredito que todos os requerentes de asilo devem ser mantidos em campos fechados [como proposto pelo “Partido Progressista”]. Temos linhas vermelhas, é claro[2]. Ademais, negociações com o “Partido Liberal” e o “Partido Democrata Cristão” serão realizadas, na tentativa de formar um governo majoritário.

—————————-

Imagem Erna Solberg, líder do Partido Conservador” (Fonte):

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/3/3e/Erna_Solberg_-_2013-08-10_at_12-58-32.jpg

—————————-

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://www.dw.de/norways-center-right-claims-election-victory-ousts-labour-government/a-17076884

[2] Ver:

http://www.dw.de/norway-shifts-right-in-first-post-breivik-election/a-17077336

Thiago Babo - Colaborador Voluntário

Mestrando em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (Usp); Bacharel em Relações Internacionais pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (Puc-SP). Colaborador do Núcleo de Análise da Conjuntura Internacional (NACI) e do Núcleo de Estudos de Política, História e Cultura (Polithicult). Experiência profissional como consultor de negócios internacionais. Atua nas áreas de Política Internacional, Integração Europeia, Negócios Internacionais e Segurança Internacional. No CEIRI NEWSPAPER é o Coordenador do Grupo Europa.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.