LOADING

Type to search

Pesquisas eleitorais apontam que Cristina Kirchner pode ganhar eleições já no primeiro turno

Share

De acordo com os resultados das pesquisas eleitorais realizadas pela empresa “Management & Fit” e publicadas ontem, dia 6 de julho, as intenções de voto para a atual presidente da Argentina estão crescendo, trazendo-lhe grandes chances de ser reeleita “Presidente da República” em outubro deste ano, já no primeiro turno.

 

Segundo dados publicados, a mandatária aumentou 5 pontos percentuais em relação à última pesquisa, passando de 33,4% para 38,3%, chegando a um nível que, apesar do crescimento também apresentado pelo candidato Ricardo Alfonsín, o qual chegou a 23,2%, permite-lhe que obtenha a votação necessária para excluir o segundo turno. De acordo com a legislação eleitoral do país, é necessário que: (1) a somatória dos votos do primeiro colocado ultrapasse a de todos os adversários juntos e supere a marca dos 45% dos eleitores; ou (2) que os votos do primeiro colocado alcance os 40%, mas com uma diferença de 10% sobre o segundo colocado.

A presidente tem recebido apoio da população graças ao crescimento econômico doméstico demonstrado, apesar das críticas dos economistas de que  o modelo é frágil e está vinculado a uma elevada inflação (cujos índices oficiais tem sido mascarados pelo governo), além da persistência dos problemas sociais que não tem sido solucionados, destacando-se a violência e insegurança no país.

Analistas afirmam que a Presidente tem sido beneficiada pela incapacidade da Oposição de convergir e identificar um candidato de coalizão, apto a enfrentar os peronistas do “Partido Justicialistas”, o partido da Presidente. Indicam que a Argentina vive a “crise de lideranças da direita”, tal qual vivem outros países latino-americanos, cujos possíveis representantes deste espectro ficaram a mercê do processo histórico e não conseguem apresentar um projeto que dê conta de solucionar os problemas sociais, agregados a um modelo econômico com menor déficit público, sem a tutela do Estado e a interferência do governo na vida do cidadão.

Segundo apontam, os argentinos vivenciam de forma especial esta realidade devido ao seu passado recente e um indicativo de que os candidatos da oposição estão enfraquecidos ficou transparente no fato de um dos possíveis líderes capazes de enfrentar os justicialistas, Mauricio Macri, ter preferido disputar a prefeitura de Buenos Aires, ao invés da Presidência.

Acrescente-se que, mesmo com sua liderança nas pesquisas, apontam as pesquisas que poderá haver segundo turno no pleito que ocorrerá em 10 de julho próximo, apesar de Macri ter uma pontuação tranqüila em relação ao segundo colocado, o peronista Daniel Filmus. Até o momento a diferença está em  42,9% para Macri, com 30,2% para Filmus.

Principal indicativo de que o governo tende a manter a posição política no país vem dos resultados obtidos pelos governistas da coalizão “Frente para a Vitória” (FPV), nas eleições que ocorrem nos 24 distritos da Argentina. Até o momento, a Frente venceu em 6 e perdeu apenas em uma, em Chutub (sul), ainda assim para um peronista dissidente e não para um partidário da oposição à direita.

 
Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.