LOADING

Type to search

Brasil substitui EUA no combate à droga na Bolívia

Share

Após a saída da norte-americana “Drug Enforcement Administration” (DEA), ou “Força Administrativa de Narcóticos” (em português), o Brasil ocupou o espaço deixado com “Acordos de Cooperação Técnica” envolvendo as polícias de ambos os países, no caso brasileiro, a “Polícia Federal” (PF)

De acordo com o vice-ministro de “Defesa Social” boliviano, Felipe Cáceres a contribuição da PF brasileira se dá “principalmente, com o tema de dados de inteligência para a nossa polícia [a polícia boliviana]. A troca de informação sobre o tráfico de drogas – sejam substâncias controladas ou de traficantes -, teremos no dia. Esta é uma das ferramentas que serviu para chegar a [controlar o] tráfico de drogas”. Em sua avaliação o resultado tem sido mais produtivo, pois agora está sendo impedido que “os narcos fujam para o lado brasileiro”. Estão previstos Acordos também com o Peru, pois quase metade da droga apreendida na Bolívia em 2010 era proveniente do Peru.

Dentro deste trabalho está em tramitação no Congresso brasileiro a doação à Bolívia de 4 helicópteros das “Forças Armadas” do Brasil para serem incorporadas no combate ao narcotráfico boliviano. O argumento usado no legislativo brasileiro é de que serão usados para combater o tráfico de drogas, eles têm custo de manutenção elevado e estão previstas suas substituições por outros equipamentos mais modernas.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!