LOADING

Type to search

Argentina pode passar por nova crise econômica e analistas apontam possibilidade de nova moratória

Share

A consultoria Abeceb está informando uma possível moratória do governo argentino para o ano de 2010. Segundo estimativas, o país precisará de US$ 13,2 bilhões para pagar os credores internos, mas dispõe de apenas US$ 8 bilhões em caixa. Para cobrir o restante será necessário um empréstimo, ou decretar moratória.

 

A Argentina não dispõe de créditos internacionais desde 2001, quando decretou a moratória pela primeira vez. A garantia de sua sobrevivência era a compra de bônus do tesouro argentino feita pela Venezuela, naquilo que o presidente venezuelano, Hugo Chávez, denominava por “bônus Kirchener”.

Essas compras explicam as reações pacificas da Argentina, em relação a certas medidas adotadas por Chávez no continente, dentre elas a estatização de empresas com capital argentino em território venezuelano. 

Explicam também as reações pró Chávez que sempre foram adotadas pelos Kirchners. Da mesma forma, dá o tom das reações da presidente Cristina Kirchner em ladear com o seu par venezuelano na questão hondurenha.

Com a crise internacional e a queda do preço do barril de petróleo, o presidente Chávez mudou sua prioridade e deixou a Argentina sem alternativas, uma vez que não dispõe de créditos internacionais. Não será surpreendente se a presidente Cristina Kirchner trabalhar para evitar que a Venezuela se envolva mais na produção de uma guerra civil em Honduras.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.