LOADING

Type to search

A era dos “vazamentos” de documentos “secretos”

Share

Um grupo que se diz autofinanciado, constituído por antigos funcionários da “União Européia” (UE), por ONG’s; por trabalhadores de órgãos de informação e por trabalhadores do setor das relações públicas, criou uma versão européia do site “WikiLeaks”. Trata-se apenas de um dentre outros sites semelhantes que têm surgido desde que começou o “Cablegate” (telegramas da diplomacia norte-americana).

 

O “Brussels Leaks” (http://brusselsleaks.com), que iniciou suas atividades no dia 9 de dezembro, tem uma homepage no serviço de alojamento de blogues do “WordPress” e convida as pessoas a enviarem anonimamente documentos sensíveis relacionados com a UE, utilizando um formulário de contato codificado.

Ao contrário do “WikiLeaks”, o “Brussels Leaks” não publicará as informações em seu site, mas verificará a autenticidade dos documentos e depois encaminhará para órgãos de informação selecionados. Os organizadores do site anunciaram que, em breve, divulgarão o primeiro lote de documentos sobre o setor de transportes e energia.

Mais um site de “vazamentos” foi criado, mas este vem com o objetivo de retomar os princípios originais do “WikiLeaks”. Ao ver que o site “WikiLeaks” foi desviado de sua missão, o antigo assistente de Julian Assange, Daniel Domscheit-Berg, resolveu criar um rival que, segundo ele, será mais transparente e, em breve, será lançado. Batizado de “Openleaks” (www.openleaks.org) o site, no momento, não oferece nenhum conteúdo além do logotipo e da mensagem “chegaremos em breve”.

Em entrevista ao site de tecnologia “OWNI”, Domscheit-Berg declarou que “nos últimos meses, a organização [WikiLeaks] deixou de ser aberta, se afastou de sua promessa quanto ao conceito de fonte aberta”.

Outro site “pós-Cablegate” é o “Balkan Leaks” (http://balkanleaks.eu/). Com sede na Bulgária e servidores no Canadá, que pretende centrar foco no crime organizado e no elevado grau de corrupção na região. “Há muitas pessoas que querem mudar os Balcãs de uma vez por todas e que estão dispostas a aceitar esse desafio. Nós estamos a estender-lhes a mão”, afirmam os seus organizadores, numa declaração publicada na sua homepage.

Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!