LOADING

Type to search

Chávez intensifica relações com Portugal

Share

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, assinou ontem, domingo, dia 24 de outubro de 2010, uma série de Acordos com Portugal, intensificando as relações econômicas e comerciais que há entre os dois países.

Ao desembarcar, às 11h00 de domingo, Chávez fez discursos elogiando o país visitante e os laços de amizade que alega ter com o primeiro-ministro português José Sócrates, sobre o qual afirmou: “Ele é meu amigo e é um bom homem”.

Em sua declaração, disse ainda que “Portugal passa por um momento difícil. O mundo está passando por momentos difíceis. Viemos dar nossas mãos, nosso coração a Portugal, pois não nos resta nada além de nos unirmos para enfrentar os desafios do mundo neste século que se inicia”.

Foram acertados acordos para investimento conjuntos em fontes renováveis de energia (fontes limpas); para  o fornecimento de casas pré-fabricadas (num negócio acertado com o “Grupo Lena”, para a construção de 12.500 casas populares no valor estimado de 950 milhões de dólares); compras de  navios de carga (está sendo tratada a compra do “ferry Atlântida”, substituindo como comprador o governo de Açores, que desistiu do negócio, bem como acertada a fabricação de outra embarcação – o navio Anticiclone – nos “Estaleiros Navais Viana do Castelo – ENVC”) e o fornecimento de 1,5 milhão de computadores notebooks, de baixo custo, o denominado “Magalhães”, que na Venezuela recebe o nome de “Canaima”.

Chávez tem feito publicidade deste notebook no mundo inteiro, tornando-se seu principal garoto propaganda, ao ponto de dar um de presente à primeira dama da Síria, Asma al-Assad, quando esteve em visita a este país, dentro do giro por vários países que fez recentemente e se encerrou com a passagem por Portugal.

De acordo com interpretações de analistas internacionais focados na Venezuela, os Acordos firmados por Chávez com Portugal não devem receber contraposição da oposição venezuelana, exceto no caso do “ferry Atlândida”, cuja compra está sendo vista como uma forma de Chávez solucionar os problemas da empresa que teve o negócio abandonado por outro cliente e a Venezuela também está vivendo crise econômica com falta de recursos para investimentos internos, com pobreza, carestia e desabastecimento.

Segundo os observadores, as críticas podem se centrar no fato de os negócios poderem estar na mesma linha da política externa exterior do Período de maior valor do petróleo, quando o país tinha excesso de divisas e deslocou o excedente adquirido em promoção de parcerias por razões políticas e ideológicas, sem retorno ao país, mas apenas ao governo e seu Presidente.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!