LOADING

Type to search

Colômbia caminha para manutenção da linha uribista no governo do país

Share

A última pesquisa eleitoral colombiana apresentou que o candidato governista à Presidência da República, Juan Manuel Santos, apresenta 65% das intenções de voto, enquanto seu opositor, Antanas Mockus, detém 28% da preferência eleitoral.

Os dados apresentados refletem mais a tendência que se esperava com os resultados do primeiro turno, quando Santos obteve 47% dos votos dos colombianos, enquanto Mockus, apenas 21%, aproximadamente.

Na ocasião as pesquisas eleitorais indicavam empate técnico, com possível vitória do opositor, representante do “Partido Verde”, no segundo turno. As explicações para o erro da pesquisa se fixaram na pouca representatividade da amostragem escolhida, que ficou apenas no eleitorado urbano.

Na atualidade, os índices inverteram e a questão que obteve mais relevo é a imagem de seriedade identificada pelos eleitores em relação aos dois candidatos. Santos obteve avaliação positiva de 75% da população, enquanto o opositor apenas 43,5%.

Santos contará ainda com 80% de apoio no Congresso colombiano (232 dos 268 integrantes nas duas Câmaras), um apoio maior que o obtido por Uribe nos seus dois governos. Acredita-se que esta pesquisa corresponda mais à realidade, uma vez que se tem declarado que foram corrigidos os desvios de amostragem da pesquisa do primeiro turno, embora, depois da discrepância anterior, todos fiquem em passo de espera.

Caso se confirmem os índices apresentados, será mantida a configuração política na região, com a expectativa dos analistas de que Santos intensifique a política externa adotada até agora pelo atual presidente colombiano, Álvaro Uribe.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!