LOADING

Type to search

Colômbia exige audiência pública na OEA para denúncia contra Venezuela

Share

O governo da Colômbia anunciou na segunda-feira, dia 19 de julho, que exigir[a audiência pública para apresentar provas de que há tolerância do governo venezuelano para com a presença de guerrilheiros das “Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia” (FARC) e do  “Exército de Libertação Nacional” (ELN).

De acordo com o divulgado, os líderes das duas organizações guerrilheiras estão usando o território venezuelano como “santuário” e tem obtido de Hugo Chávez permissão para a presença em seu território.

O governo colombiano está exigindo a audiência pública na  “Organização dos Estados Americanos” (OEA), pois afirma que o Órgão, apesar da pouca possibilidade de manobra em relação ao contencioso entre os dois países, é usado como instrumento de publicidade pelos governos bolivarianos, que poderão aproveitar o espaço para desviar o foco e tornar a denúncia um espaço para debate do  “Acordo Militar entre Colômbia e EUA” e depois sairão com os discurso que lhes for mais conveniente.

A estratégia colombiana é trazer transparência sobre a as acusações, reduzindo o campo de manobra dos presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e seus aliados bolivarianos, que tem voz ativa na Organização.

Nas palavras do embaixador da Colômbia na OEA, Luiz Alfonso Hoyos, após participar de reunião com organismos em seu país, com vistas a preparar a apresentação na Instituição, “a Colômbia pediu uma sessão pública, não queremos receber nenhuma classe de insultos, vamos exigir cooperação e respeito”.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta