LOADING

Type to search

Cresce a possibilidade de Yukio Hatoyama renunciar ao cargo de Primeiro-Ministro do Japão

Share

O atual governo de Yukio Hatoyama tem um índice de aprovação muito baixo, deixando dúvidas quanto ao futuro dos membros do “Partido Social-Democrata do Japão” (partido do atual governante do país). A questão da transferência das instalações militares estadunidenses em Okinawa é o principal motivo da divisão do partido e da atual rejeição recebida da população japonesa.

Após Hatoyama apresentar os planos para a transferência da base de Futenma, a líder do partido, Mizho Fukishima, retirou-se do cargo na última sexta-feira, dia 28 de maio. De acordo com Fukishima, o motivo da saída está relacionado com sua total discordância com a decisão do Primeiro-Ministro japonês e pelo fato de o partido estar “traindo a confiança das pessoas”. Recusou-se, com esta atitude, a endossar o documento de transferência da base militar norte-americana.

A agência de notícias Kyodo apresentou uma pesquisa com os japoneses quanto ao apoio ao atual governo e seus planos de transferência das bases norte-americanas na região de Okinawa. O resultado apresentou uma queda de 19,1% do apoio da população ao Gabinete do atual governante.

O pior para Hatoyama é a opinião japonesa quanto ao seu futuro como Primeiro-Ministro do país. Pelo resultado, mais de 51% dos entrevistados pede para que ele renuncie ao cargo e mais de 66% discordam totalmente da proposta de transferência da base de Futenma.

Especialistas japoneses entendem a atual situação do governo como tensa e instável e vêem-no como despreparado para enfrentar os problemas que o continente vem sofrendo. Sem o apoio da população, ele perderá força frente às nações vizinhas e frente aos interesses nacionais, podendo levar o Primeiro-Ministro a renunciar.

No ano passado, o Gabinete de Hatoyama tinha mais de 70% de aprovação da população. Desde que assumiu o governo, havia estabilidade nas relações com a população, mas a condução do problema da transferência das bases militares dos EUA levou a queda constante na aprovação popular.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.