LOADING

Type to search

Share

Ontem, dia 30 de março, forças leais ao proclamado vencedor das eleições presidenciais da Costa do Marfim, Alassane Ouattara, tomaram o controle da capital do país, Yamoussoukro, e avançavam em direção às cidades litorâneas de Abidjã, a maior do país, e San Pedro, com o objetivo de derrubar o presidente Laurent Gbagbo.

As forças pró-Ouattara agora controlam áreas que produzem cerca de 600 mil toneladas de cacau por ano, metade do total do país. A Costa do Marfim é a maior produtora mundial de cacau e as restrições à atividade desde que o conflito começou paralisaram as exportações, elevando os preços no mercado futuro ao maior patamar em 30 anos.

Resistindo à pressão da “União Africana” e do Ocidente, Gbagbo se recusou a deixar o cargo depois da eleição presidencial de novembro de 2010, cujos resultados, certificados pela “Organização das Nações Unidas” (ONU), apontaram vitória de Ouattara.

Em declarações à “Rádio França Internacional” (RFI), Guillaume Soro, chefe de governo de Ouattara, declarou que o “tempo para diálogo e cessar-fogos acabou, [Gbagbo] tem algumas horas para deixar o poder pacificamente”.

Ainda ontem, dia 30 de março, o “Conselho de SegurançaONU aprovou, por unanimidade, uma resolução na qual exige o fim imediato da violência no país e impõe sanções a Laurent Gbagbo. A resolução determina a todas as partes em conflito a respeitarem a vitória de Alassane Ouattara nas eleições presidenciais de 2010 e exige de Gbagbo “afastar-se imediatamente” do poder. O documento impõe ainda uma restrição a viagens e o congelamento dos bens de Gbagbo, de sua esposa e de três importantes assessores.

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.