LOADING

Type to search

Empresas japonesas no Brasil se preparam para problemas do fornecimento de peças

Share

As empresas japonesas instaladas no Brasil estão se preparando para possíveis problemas de fornecimento de peças para a produção. Isto ocorre devido ao fato de muitas dás fábricas dependerem de peças remetidas pelas matrizes.

Responsáveis da Panasonic, por exemplo, informaram que “os danos poderão ter algum efeito na produção de Manaus nos próximos meses, uma vez que muitos materiais utilizados vêm do Japão, especialmente para câmeras digitais, rádios para carros e TVs de plasma e LCD”. Os riscos, no entanto, começam a ser reduzidos, pois a maioria das empresas alega que há estoques que podem suprir a produção por, aproximadamente, três meses. Por isso, os diretores afirmam que precisam de tempo para fazer afirmações sobre se serão afetados ou não e de que forma.

A Toyota manteve a programação para o lançamento do novo Corolla (modelo de carro), acreditando que o tempo que dispõem para que a reposição de peças é o suficiente para a garantia da normalidade.

De acordo com o Mauricio Loureiro, presidente do “Centro das Indústrias do Amazonas” as empresas no Japão estão em áreas que não foram tão afetadas pelo terremoto. Em suas palavras: “Pelo que temos de informações, algumas empresas suspenderam as operações, mas voltarão a operar em breve. (…). e é pouco provável que sofram (empresas por ele citada) algum revés, pois podem se abastecer de fábricas em outros países, como China e Malásia”.

Analistas concordam que este é o cenário mais provável, mostrando que os efeitos serão menores no Brasil, já que há a possibilidade de abastecimento vindo de outros lugares, além do fato de três meses ser um tempo possível para uma sociedade, como o Japão, que é organizada, com grande capacidade de mobilização, competência administrativa, estabilidade das instituições políticas e respeito da população pelas suas lideranças conseguir garantir condições de retomar a produtividade.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!