LOADING

Type to search

França sugere que a energia nuclear civil também seja financiada pelos créditos de CO2

Share

A França solicitou ajuda ao “Banco Mundial” (BM), ao “Banco Europeu para a Reconstrução e o Desenvolvimento” (BERD) e de outras instituições financeiras internacionais para o desenvolvimento da energia nuclear.

Não compreendo e não aceito o ostracismo ao nuclear nas finanças internacionais. É necessário que o Banco Mundial, o BERD e as instituições de apoio ao desenvolvimento se comprometam resolutamente no financiamento” da energia nuclear.

Proponho, e apelo a todos os países que partilham desta posição que se unam a nós, para que todas as energias sustentáveis possam ser financiadas pelos créditos de CO2“, acrescentou Sarkozy, na conferência que ocorre na sede “Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico”.

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.