LOADING

Type to search

Japão anseia obter os mesmos benefícios que a Coréia do Sul tem no “Mercado Europeu”

Share

Ontem, dia 28 de abril, foi realizada em Tóquio a “Cúpula Anual União Européia – Japão” com objetivo de intensificar os esforços conjuntos para ajudar o Afeganistão, combater a pirataria na Somália e iniciar negociações comerciais para melhorar as relações entre europeus e japoneses.

O primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, afirmou após a reunião anual que chegaram “a um comportamento de cooperação concreta em matéria de construção da paz no Afeganistão e na Somália“.

Van Rompuy, Presidente do “Conselho Europeu”, solicitou maior cooperação na luta contra a mudança climática, a pobreza, o terrorismo, na promoção da estabilidade econômica mundial, para combater a proliferação nuclear e em defesa dos “Direitos Humanos”.

A UE e o Japão, com suas forças, econômica e política, combinadas, podem fazer a diferença em um mundo cada vez mais globalizado“, declarou Rompuy. Ele também falou sobre os laços econômicos com o Japão.

O representante europeu declarou que o país asiático ainda impõe muitas barreiras não-tarifárias ao comércio, as quais impedem o acesso ao mercado japonês e, conseqüentemente, causam hesitação da UE em negociar um “Tratado de Livre Comércio”. Para que essas negociações iniciem, a UE exigiu que o Japão tome medidas para reduzir as barreiras não-tarifárias, inclusive na segurança dos produtos e nas regras das compras governamentais.

Toshiro Tanaka, professor de política européia da “Universidade Keio”, afirmou que “apesar da retórica da UE de que o mercado japonês é fechado com barreiras não-tarifárias, a UE está relutante em assinar um ‘Acordo de Livre Comércio’ com o Japão, enquanto o Japão, apoiado pela sua comunidade empresarial, anseia por um acordo com a UE“.

Tanaka complementou dizendo que o “Acordo de Livre Comércio” assinado entre a UE e Coréia do Sul em outubro do passado despertou o interesse japonês em obter um Acordo semelhante, pois este com os coreanos “é muito desvantajoso para os fabricantes japoneses conseguirem vender produtos no mercado europeu“.

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.