LOADING

Type to search

Marco Aurélio Garcia explica posicionamento do Governo brasileiro em relação à Líbia

Share

O “Assessor Especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República”, Marco Aurélio Garcia, apresentou ontem, dia 22 de março explicações para o posicionamento brasileiro de abstenção na votação para criação da “zona de exclusão aérea” no “Conselho de Segurança das Nações Unidas”.

Interpreta-se de sua declaração, os seguintes problemas existentes na medida: (1)  não há convergência sobre o objetivo da Missão; (2) a justificativa apresentada para a ação tem contradições na sua execução; (3) a ação traz a idéia de se estar gerando uma “polícia mundial”; (4) está sendo criado um precedente perigoso; (5) existe a possibilidade de o procedimento, sem critério definido, ser adotado em outros casos, constituindo um perigo de interferência em assuntos internos pelas grandes potências.

Analistas consideram que, apesar de ser complexo e discutível o último aspecto, as questões desdobradas de sua curta explicação fazem sentido, pois vários especialistas, de ambos espectros ideológicos, têm criticado a forma como foi determinada a operação; a falta de clareza nas considerações sobre o “princípio de defesa dos civis” e a incerteza no reconhecimento da existência de uma “guerra civil” na Líbia, o que obrigaria os coligados a mudarem o comportamento.

Além disso, a questão da “defesa dos civis” coloca a obrigação de explicar porque não está sendo adotado o mesmo procedimento em outros países africanos que vivem situação semelhante, como a “Costa do Marfim”. Há concordância de que tais questões dizem respeito a “governança global” e elas afetam diretamente o equilíbrio do “Sistema Internacional”, logo, a preservação da paz mundial.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.