LOADING

Type to search

O Brasil tido como ponto estratégico para os EUA, segundo o “Wikileaks”

Share

Foram divulgados nesta segunda-feira, dia 6 de dezembro, os pontos estratégicos para os EUA no mundo, que constam nos documentos secretos vazados pelo site “Wikileaks”. Segundo apresentado, há solicitação para os diplomatas estadunidenses que atualizem uma lista de infra-estruturas e recursos pelo mundo, “cuja perda poderia impactar criticamente a saúde pública, a segurança econômica e/ou a segurança interna dos EUA”. Estes pontos são classificados pelo “Departamento de Estado dos EUA” como de “impacto crítico” na segurança do país e se espalham pelo mundo.

Com relação ao Brasil, os documentos afirmam ser de preocupação para os norte-americanos os cabos de comunicação submarinos que fazem conexões em Fortaleza e no Rio de Janeiro. Estão incluídas as jazidas de minério de ferro, de manganês e nióbio existentes nas regiões de  Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Goiás.

É algo compreensível pelo fato de este minerais serem usados em ampla gama de produtos, em especial na indústria de ponta, na militar, na aeronáutica e na espacial. Além disso, o Brasil tem as maiores reservas do mundo de Nióbio, aproximadamente, 88% do total, ser o segundo produtor mundial de manganês e um dos maiores produtores de ferro.

Analistas concordam que não há novidade nesta preocupação por parte dos norte-americanos, pois faz parte do planejamento estratégico de qualquer Estado localizar os focos de matérias-primas essenciais à sua indústria e, neste sentido, a mesma preocupação com relação ao Brasil e suas fontes de matérias-primas deve rondar o planejamento de todas as demais potências do globo.

Destacam ainda que o interesse por parte dos norte-americanos tem sido acompanhado por constante processo de negociação deles com o Brasil e com as empresas brasileiras, buscando parcerias, ou tentando implantar empreendimentos que possam explorá-lo, respeitando a legislação vigente no país.

Por essa razão, os observadores tem destacado que a divulgação revela apenas o que se sabe como comportamento estratégico de qualquer governo de país no mundo, não significando ameaça frontal.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.