LOADING

Type to search

Share

Após as críticas realizadas pelo governo japonês em relação a visita do presidente da Rússia, Dmitri Medvedev, a ilha Kunashiri e a convocação do embaixador do Japão em Moscou para fazer esclarecimentos sobre a política interna russa, o governo de Medvedev desconsiderou os pronunciamentos japoneses e manteve a agenda de visitas nas Ilhas Kurilas, também foco de disputa desde o término da “II Guerra Mundial”. Isso desagradou ainda mais ao Japão.

O ministro das “Relações Exteriores” japonês, Seiji Maehara, havia pedido ontem, dia 3 de novembro, que não fosse realizada a viagem, pois seu país considera que a região é território nipônico. Em declaração á imprensa afirmou, “Transmitimos nossa postura de que as quatro ilhas (Kunashiri, Etorofu, Shikotan e Habomai) são território tradicional japonês. Espero que (a Rússia) leve isso em conta”. O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergeï Lavrov, por sua vez, recusou estas declarações, e afirmou que o presidente Medvedev visitou uma terra russa.

Analistas acreditam que durante a realização da ASEAN, o “Fórum?Econômico da Ásia-Pacífico”, programado para os dias 13 e 14 de novembro, em Yokohama, no Japão, será possível um encontro entre o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, e o presidente da Rússia Dmitri Medevdev.

Observadores tem assinalado que, apesar das interrogações sobre as razão da disputa, a explicação é simples, às ilhas, às quais os japoneses se referem como “Territórios do Norte no Japão” são ricas em ouro, prata, hidrocarbonetos e titânio.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!