LOADING

Type to search

Relações entre as Coréias se agravam: Coréia do Norte poderá não assistir a Copa do Mundo de 2010

Share

A Coréia do Norte poderá ficar sem assistir a participação de sua seleção na “Copa do Mundo na África do Sul”. As tensões entre as duas Coréias e a opinião pública sul-coreana são responsáveis pelos norte-coreanos ficarem sem o sinal das transmissões do mundial. Desde o início do ano de 2010, Pyongyang e Seul vem trocando acusações e ofensas, devido às manobras militares norte-coreanas próximas na fronteira e também pela resistência do governo de Kim Jong II em abandonar seu programa nuclear.

Essas tensões foram responsáveis por problemas na economia norte-coreana, atrasando seus planos de desenvolvimento. A cooperação entre a Coréia do Sul e Coréia do Norte para transformar a região de Sinuiju em um pólo comercial e promover o turismo no Monte Kumgang, também foi afetada pelas tensões entre seus governos.

O fato de o país não poder assistir aos jogos está relacionado ao caso do naufrágio de uma embarcação militar sul-coreana que, de acordo com as investigações de Seul, foi motivado pelo disparo de um torpedo de submarino norte-coreano. O incidente causou 46 mortos e o caso levou a opinião pública sul-coreana a pressionar a “Seul Broadcasting System” (SBS) a reter os sinais da transmissão da copa para o país vizinho.

A SBS liberou sinais de transmissão dos últimos mundiais de forma gratuita para a Coréia do Norte. Essas transmissões faziam parte do projeto de aproximação entre as duas Coréias, numa tentativa de melhorar suas relações, mas a empresa se recusa a continuar com o serviço.  Um dirigente da SBS, sem se identificar, afirmou durante entrevistas à mídia que “o fator mais importante a ter em conta é o sentimento da opinião pública. O naufrágio do navio agravou as relações entre os dois países“. A SBS informou que não tem previsão para retomar as negociações com a Coréia do Norte.

As questões políticas e as tensões entre ambas as Coréias chegaram ao ponto “neutro” de suas relações, ou seja, aos esportes, o setor que não apenas o governo sul-coreano, mas sua opinião publica fazem com que as empresas e responsáveis pela cooperação entre ambos os países tomem decisões que afetam ao povo norte-coreano. O mundo poderá ver a seleção norte-coreana jogar, mas, sua torcida talvez não a veja em campo, se não houver motivos para mudança de postura da Coréia do Sul.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.