LOADING

Type to search

Resgate financeiro de Portugal dificulta formação do novo governo finlandês

Share

A participação da Finlândia no resgate financeiro de Portugal está em discussão entre os partidos políticos do país nórdico e está se transformando no maior problema para a formação de um novo governo de coalizão.

Jyrki Katainen (Partido Coalizão Nacional), encarregado de formar o Executivo depois de ganhar as recentes eleições gerais, iniciou, no dia 4 de maio, a busca pela aprovação do pacote entre os parlamentares.

O “Partido Social-Democrata”, segunda maior força do país e principal candidato a formar uma coalizão com os conservadores, mantém posição contrária a novos pacotes de resgate financeiro se estes não tiverem a participação das instituições financeiras e de investidores.

O “Partido Autênticos Finlandeses” tem uma posição radicalmente contra mecanismos europeus de estabilidade. Essa posição permitiu que o Partido se convertesse no terceiro mais votado nas últimas eleições.

Para que um pacote seja aprovado, todos os países da zona do euro têm de aprovar. A Finlândia precisa ter uma posição oficial sobre este assunto até dia 16 de maio, quando os ministros de Finanças da “Zona do Euro” vão debater o acordo entre Portugal, “União Européia” e “Fundo Monetário Internacional”.
Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.