LOADING

Type to search

Com OEA apresentando divisões, Secretário Geral, José Miguel Insulza, anuncia que retomada das negociações será difícil

Share

O Secretário Geral da OEA (Organização dos Estados Americanos), José Miguel Insulza, declarou que dificilmente haverá uma retomada das negociações para restabelecer o Acordo formado entre Roberto Micheletti (atual presidente de Honduras) e Manuel Zelaya (presidente afastado, sob acusações de crimes políticos e comuns). No entanto, o Secretário Geral confirmou que permanecerá no país para ver os desdobramentos do novo impasse criado.

A situação ficou confusa com o fato de líder da OEA ter se posicionado pela restituição de Zelaya, independente dos termos firmados no Acordo, algo que será visto de forma inadequada e atingir a instituição, pois, no futuro, é possível que seja submetida a avaliação de que é incapaz de mediar crises, uma vez que não se porta de maneira imparcial.

Além disso, os representantes dos EUA estão anunciando que o reconhecimento das eleições de 29 de novembro independe da votação para a restituição de Zelaya ao cargo de Presidente, algo que não está garantido pelos termos acordados. Assim, tem-se como claro que, para os norte-americanos, a solução da crise será o encerramento do processo eleitoral.

Outros membros da OEA, embora poucos, certamente seguirão os estadunidenses. A Colômbia, que hoje se configura como a principal aliada dos EUA na América Latina, já ordenou o retorno de seu embaixador para Honduras, como um sinal de que reconhecerá o governo que assumir, quando não que já está reconhecendo o governo atual. É provável que, ao final do processo eleitoral, também os europeus sigam este caminho. Com isso, a OEA ficará isolada e rachada, podendo ser uma das grandes perdedoras da crise em Honduras.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!