LOADING

Type to search

Tailândia poderá ter eleições antecipadas em julho

Share

O Parlamento tailandês aprovou, no dia 11 de fevereiro, “Emendas Constitucionais” que deixam o país, que está politicamente dividido, mais próximo da realização de eleições gerais.

O vice-primeiro-ministro Suthep Thaugsuban anunciou, no dia 22 de março, que a Tailândia terá eleições antecipadas nos dias 1 e 2 de Julho.

Thaugsuban explicou que a data ainda carece de confirmação da “Comissão Eleitoral” e anunciou que o primeiro-ministro Abhisit Vejjajiva vai dissolver o Parlamento na segunda semana de maio, se for mantida a segurança e não ocorrerem novos surtos de violência política.

Após a dissolução do Parlamento, a “Constituição da Tailândia determina um prazo mínimo de 45 dias e máximo de 60 dias para a realização do Sufrágio. Estas eleições serão o primeiro teste eleitoral de Abhisit Vejjajiva, desde sua ascensão ao poder por uma votação parlamentar, há três anos. O ex-premiê Thaksin Shinawatra, rival de Abhisit, queixou-se na época de que a escolha do atual governo teria sido manipulada pelo Exército.

Analistas acreditam que os mercados financeiros avaliam de forma positiva a realização de eleições na Tailândia, as quais poderão restaurar a estabilidade no país, depois de anos com incidentes políticos, manifestações populares e violência. Mas, por outro lado, há grande risco de um dos partidos, ou ambos, rejeitar o resultado, abrindo espaço para agravar a crise política tailandesa.

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.