LOADING

Type to search

Tecnologia de energia solar japonesa chama atenção das nações asiáticas

Share

O Japão é um dos países asiáticos que mais investem na tecnologia solar para poder reduzir a dependência de outros meios de energia não renováveis. O seu investimento na tecnologia de painéis solares faz dele uma referência para os vizinhos.

Na cidade de Osaka, durante o período de 30 dias, ocorreu um seminário sobre o desenvolvimento tecnológico para melhoria do uso da energia solar, utilizando desta tecnologia para aperfeiçoamento de painéis de ponta para ter o máximo de captação e aproveitamento desta fonte de energia.

O seminário contou com a presença de representantes governamentais de países desde a Mongólia ao Nepal. Nele os representantes puderam testemunhar diferentes meios de se usar a tecnologia solar em seus países. Na Mongólia, grande parte de sua população são de nômades que não têm acesso as redes de energia do país, a energia solar é o meio mais viável para lhes proporcionar condições de acesso a informação e educação.

Para os mongóis, alguns produtos japoneses, como os apresentados pela empresa Sanyo, são viáveis e aplicados ao cotidiano no país, onde a empresa fabrica mini-painéis de captação de energia solar, capazes de gerar energia por média de 5 horas e a baixo custo. Entre 20 e 80 dólares.

O seminário realizado no Nihon (Japão), terminou no dia 9 de abril e apresentou novidades às nações vizinhas, dando-lhes um novo caminho para a realização de negócios, com a venda de produtos e também com o intercambio tecnológico.

Tags:
Fabricio Bomjardim - Analista CEIRI - MTB: 0067912SP

Bacharel em Relações Internacionais (2009) e técnico em Negociações Internacionais (2007) pela Universidade Anhembi Morumbi (UAM). Atua na área de Política Econômica com foco nos países do sudeste e leste asiático, sendo referência em questões relacionadas a China. Atualmente é membro da Júnior Chamber International Brasil-China, promovendo as relações sócio-culturais sino-brasileiras em São Paulo e Articulista da Revista da Câmara de Comércio BRICS. Também atuou como Consultor de Câmbio no Grupo Confidence.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!