LOADING

Type to search

UNASUL poderá ter Nestor Kirchner como Secretário-Geral, a ser anunciado em reunião do dia 4 de maio de 2010

Share

O ex-Presidente da Argentina, Nestor Kirchner, está sendo cogitado para ocupar o cargo de Secretário Geral da “União das Nações Sul-Americanas”. As negociações estão em andamento há quase dois anos, quando o candidato foi recusado por Uruguai, Peru e Colômbia.

Pelos estatutos do Organismo, a indicação para o cargo exige que haja unanimidade entre todos os membros, mas, conforme declaração de Rafael Correa, presidente do Equador, que ocupa o cargo temporário de Secretário-Geral do Organismo, é possível aprovar a indicação por “consenso amplo”, uma vez que a regulamentação não está vigente, pois ainda não foi ratificada.

Sabe-se que Kirchner tem apoio declarado do Equador, Bolívia, Brasil, Peru, Chile, Venezuela e Paraguai (e Argentina, evidentemente). Acredita-se que a situação com o Uruguai está encaminhada positivamente, restando esperar às declarações de Colômbia, Guiana e Suriname.

Segundo afirmações de analistas, espera-se que os colombianos não ponham empecilhos, bem como que a Guiana também apóie (está sendo disseminado que, informalmente, já deram o aval) e, apesar de o Suriname ainda não ter dado declarações, o governo do país não se pronunciou contrário à indicação.  

Todos os pontos caminham para consolidar Néstor Kirchner no cargo, embora um dos principais analistas políticos argentinos, Rosendo Fraga, tenha levantado a hipótese de ocorrer o adiamento da escolha, mesmo que o governo de seu país esteja dando como certa a indicação, pois está trabalhando intensamente para isso.

A presidente do país, Cristina Fernandez Kirchner (esposa do ex-presidente da Argentina e candidato ao cargo) realizou várias viagens ao longo do primeiro trimestre de 2010 fechando acordos com vários países sul-americanos, algo que lhe deu poder de fogo para costurar a indicação.

No país a situação de Nestor está enfraquecida, culminando com o surgimento de várias lideranças dentro do Partido Justicialista (Partido Peronista, do qual os Kirchners são membros).

Talvez esta situação interna explique o desejo dos Kirchners de garantir um cargo em um Organismo Internacional que pretende ser o responsável pela integração da América do Sul, algo que pode dar ferramentas para trabalhar o prestígio e força política do casal que, neste momento, está decaindo perante o povo argentino.

A necessidade parece imediata, pois para exercer a função na UNASUL ele terá de abandonar seu cargo de Deputado no Legislativo argentino e também a liderança do Partido Justicialista.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!