LOADING

Type to search

Presidente Joyce Banda pede a anulação das eleições gerais no Malawi

Share

A Presidente do Malawi, Joyce Banda, pediu à Comissão Eleitoral do Malawi (CEM) a anulação das eleições gerais que ocorreram no dia 20 de maio. Segundo a atual Presidente, irregularidades e uma possível fraude deturpam os resultados prévios[1].

Com isso, Banda propôs que novas Eleições ocorram daqui a 90 dias, aumentando a instabilidade política em um país que há muito sofre com escândalos políticos. Em uma entrevista à rádio local, Banda afirmou que sua posição foi tomada com base no Artigo 88, Seção 2, da Constituição Nacional de 1994, o qual dispõe o seguinte: “O(a) presidente deve prover liderança executiva em manter a união nacional, partindo das disposição presentes nesta constituição e das leis da república[2][3].

De fato, as eleições ocorreram em um cenário de certa desorganização em alguns municípios. Em Blantyre, uma das principais cidades do Malawi, eleitores puderam votar somente dois após a data oficial estabelecida, o que causou um expressivo número de ausentes[4].

Por outro lado, membros da oposição e juristas declaram que a reivindicação da presidente Banda é ilegítima e o Artigo no qual se baseou não é o suficiente para demandar o cancelamento das Eleições[5]. A CEM parece manter a mesma posição, recusando oficialmente o pedido de Joyce Banda.

Opositores afirmam ainda ela fez o pedido como forma de evitar uma derrota iminente nas urnas[1][2]. A economia em crise, os casos de corrupção e o congelamento das doações internacionais são fatos que põem em cheque a confiança dos cidadãos malauianos para com a atual Mandatária.

Com o mandato iniciado em maio de 2012, logo após a morte de então presidente Bingu wa Mutharika, Joyce Banda impôs severas políticas econômicas de austeridade, como uma abrupta desvalorização cambial, a fim de desenvolver o setor industrial[6]. Visou-se também a aproximação a instituições financeiras internacionais, como o Fundo Monetário Internacional (FMI), uma vez que a relação entre ambos os lados era fraca[7].

Entretanto, tais medidas causaram grandes controvérsias, uma vez que geraram significativos impactos negativos na qualidade de vida de muitos malauianos – como foi relatado no mês passado pelo CEIRI NEWSPAPER[6]. Além disso, casos de corrupção vieram à tona, como o caso Cashgate, fazendo com que as doações internacionais, importante fonte de divisas, fossem interrompidas[6].

Dessa forma, muito se espera, por parte da oposição, que as urnas apontem para um resultado negativo para Banda e seu partido. Os últimos resultados oficiais aumentam as esperanças dos partidos opositores: Peter Mutharika, irmão do presidente morto em 2012, liderava com 42% dos votos; em seguida, a atual Presidente aparecia com 23% dos votos. Neste caso, somente 30% dos votos haviam sido contabilizados[8].

————————————

Imagem (Fonte – “Voice of America”):

http://www.voanews.com/content/malawi-electoral-chief-promises-credible-elections-/1917862.html

————————————

Fontes consultadas:

[1] VerThe Guardian”:

http://www.theguardian.com/world/2014/may/23/malawi-election-result-president-joyce-banda

[2] VerFinancial Times”:

http://www.ft.com/intl/cms/s/0/0aa6b13c-e352-11e3-b1c4-00144feabdc0.html#axzz32e0bE3Ud

[3] VerInternational Comittee of the Red Cross”:

http://www.icrc.org/ihl-nat.nsf/0/4953f2286ef1f7c2c1257129003696f4/$FILE/Constitution%20Malawi%20-%20EN.pdf

[4] VerThe Nation”:

http://mwnation.com/disruptions-affect-turnout-blantyre/

[5] VerThe Nation”:

http://mwnation.com/peter-says-jb-mandate-annull-elections/

[6] VerCEIRI NEWSPAPER”:

http://jornal.ceiri.com.br/politica-de-crescimento-economico-malawi-e-esperanca-para-poucos-e-desastre-para-muitos/

[7] VerRelatório de Atualização da Pobreza Malauiana 2014

[8] VerThe Telegraph”:

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/africaandindianocean/malawi/10853799/Joyce-Banda-cancels-Malawis-election-following-voting-irregularities.html

Pedro Frizo - Colaborador Voluntário

Economista pela ESALQ-USP, é atualmente mestrando em Sociologia pelo Programa de Pós- Graduação do IFCH-UFRGS. Foi pesquisador do Programa de Mudanças Climáticas do Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (IDESAM). Atualmente desenvolve pesquisas na área de Sociologia Econômica, Economia Política e Sociologia do Desenvolvimento. Escreve no CEIRI Newspaper sobre economia e política africana, como foco em Angola, Etiópia e Moçambique

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!