LOADING

Type to search

A promoção institucional do Azerbaijão por intermédio do Futebol

Share

No universo futebolístico é bastante comum que inúmeros clubes de futebol, ao participarem e triunfarem em competições internacionais de acentuada visibilidade, contribuam no sentido de impulsionar uma propaganda institucional do país do qual são oriundos. Por mais que tal situação se verifique, cabe frisar que estes clubes – atores não estatais – não são agentes governamentais, nem de políticas públicas, não obstante possam vir a ser utilizados pelos seus respectivos governos nacionais como propulsores de uma imagem externa dos países no cenário internacional.

Em realidade, com a mercantilização do futebol a nível mundial, os clubes tornaram-se importantes agentes de divulgação das mais diversas empresas dos mais variados setores econômicos, e não somente em competições de âmbito internacional mas também em torneios domésticos de grande apelo televisivo e comercial. Assim é que empresas como Vodafone, Petrobrás, Unimed, Coca-Cola, FIAT, VISA dentre outras patrocinam inúmeras equipes de futebol e estampam suas logomarcas nas camisas de vários clubes.

Importante considerar que análises e estudos financeiros e econômicos dos mais variados apontam a indústria do futebol como o setor econômico mais rentável de todo o mundo, movimentando somas monetárias colossais e influenciando, diretamente e indiretamente, vários outros setores econômicos. Tomando como exemplo o futebol europeu, onde a Bundesliga(Liga Alemã de Futebol),a Premier League(Liga Inglesa de Futebol) e a Liga Espanhola, são as mais rentáveis do universo futebolístico, sendo assistidas, em todo o mundo, por milhões de pessoas, torna-se fácil estimar a visibilidade e promoção obtidas pelas empresas que patrocinam os clubes participantes destas ligas. Outrossim, maior visibilidade ainda será obtida caso um destes clubes disputem a UEFA Champions League, o mais importante torneio internacional de clubes de todo o universo futebolístico.

Tendo em vista este contexto, é interessante a estratégia de promoção institucional adotada pelo governo do Azerbaijão, um país situado na região do Cáucaso, que fazia parte da extinta URSS e, atualmente, ocupa o 85º lugar no ranking de seleções da FIFA e o 82º lugar mundial no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). De forma inédita no cenário futebolístico mundial e aproveitando-se do excelente momento pelo qual o clube Atlético de Madri vem passando nos últimos quatro anos, tendo conquistado títulos importantes tais como o bicampeonato da UEFA Europe League, o campeonato nacional e sido vice campeão da UEFA Champions League, o Governo do Azerbaijão celebra um acordo de patrocínio com o clube espanhol, tornando-se o principal patrocinador do Atlético de Madri e estampando na camisa da equipe o logo Azerbaijan Land of Fire, em referência à alcunha do país, também conhecido como Terra do Fogo.

Sem embargo, este acordo firmado entre o governo do Azerbaijão e o Atlético de Madri tem se mostrado benéfico para ambas as partes: para o clube, que pode honrar seus compromissos financeiros, manter a qualidade de seu plantel, aumentar o número de torcedores e internacionalizar sua própria marca; e para o Azerbaijão, que por intermédio do sucesso do clube nas competições disputadas, obtém grande visibilidade e projeção institucional no cenário internacional.

Na visão dos dirigentes do Atlético de Madri, o futebol irá permitir que o nome do Azerbaijão, estampado na camisa do clube, seja bastante difundido no cenário internacional e que esta parceria entre o clube e o país não é apenas um simples patrocínio comercial, mas sim uma importante ferramenta para se  atingir importantes metas mediante ações de diversas naturezas, as quais irão gerar benefícios para ambas as partes.

Por outro lado, cabe ressaltar que, por meio deste patrocínio, o Atlético de Madri assume a responsabilidade de propiciar o desenvolvimento do futebol no Azerbaijão. Em adição, o link estabelecido entre o clube e o país irá propiciar o incremento nas relações bilaterais entre Espanha e Azerbaijão, com benefícios para ambos os países. Outrossim, esta estratégia de inserção internacional do Azerbaijão calcada no futebol apenas deu seus primeiros passos com o patrocínio ao Atlético de Madri.

Ainda como parte desta estratégia, em setembro do corrente ano, a State Oil Company of Azerbaijan(SOCAR) provavelmente celebrará um acordo com a UEFA, visando ser um dos patrocinadores da Euro 2016 e das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018 na Rússia. E, para coroar a estratégia de adquirir visibilidade para o país via futebol, Baku, capital do Azerbaijão, pode vir a ser escolhida pela UEFA como uma das sedes da Euro 2020.

Por fim, de forma a se demonstrar que esta é uma estratégia de política externa levada a cabo pelo Governo  do Azerbaijão, este projeto de longo prazo foi requisitado pelo próprio Presidente do país, Ilham Aliyev, que assumiu o poder em 2003. Segundo Elkhan Mammadov, Secretário Geral da Associação de Federações de Futebol do Azerbaijão (AFFA, no Inglês), o futebol, que é de suma importância para o país, tem o apoio do Governo e do próprio Presidente, o qual assinou um Decreto-Lei criando um plano de desenvolvimento para o esporte no período de 2005 a 2015, que inclui a preocupação com o desenvolvimento de infraestrutura e o crescimento do futebol entre as mulheres e os jovens. Assim, tendo como patrocinador principal a SOCAR, o país sediará, em 2017, o Campeonato Europeu Sub-17.

——————————————-

ImagemAtlético de Madri e Azerbaijão no Cenário Mundial” (Fonte):

http://www.marca.com/2014/01/22/en/football/spanish_football/1390382722.html

——————————————-

Fontes consultadas:

Ver:

http://en.clubatleticodemadrid.com/noticias/much-more-than-a-sponsorship

Ver:

http://www.kens5.com/sports/257776121.html

Ver:

www.uefa.com

Mario Joplin - Colaborador Voluntário

Mestre em Relações Internacionais pela UERJ, Especialista em História das Relações Internacionais e Bacharel em Ciências Econômicas pela UFRJ. Possui experiência na área de Economia, com ênfase em Economia Política Internacional e Formação Econômica Brasileira. Foi bolsista de FAPERJ por um ano e Bolsista de Vocação para Diplomacia do Instituto Rio Branco (IRBr) por 4 (quatro) anos. Áreas de interesse: Esporte e Relações Internacionais; Diplomacia Futebolística; e Soft Power e Política Externa.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.