LOADING

Type to search

A relevância da cooperação entre os Balcãs e a União Europeia

Share

Na quarta-feira passada, 12 de julho de 2017, aconteceu em Trieste, Itália, a reunião de Cúpula dos Balcãs Ocidentais (Westerns Balkan Summit). O encontro reuniu ministros dos países dos Balcãs – Albânia, Bósnia e Herzegovina, Croácia, Kosovo, Macedônia, Montenegro e Sérvia – e as suas contrapartes de seis países membros da União Europeia, notadamente Alemanha, Áustria, Croácia, Eslovênia, França e Itália, para discutir o desenvolvimento das iniciativas de cooperação na região.

Os tópicos que foram discutidos concentram-se em três áreas estratégicas: conectividade, integração econômica regional/desenvolvimento do setor privado e contato entre cidadãos. Dentre estes, destaca-se o segundo ponto, uma vez que havia a expectativa de que os países membros estabeleçam um plano de ação para o desenvolvimento de uma Área Econômica Regional, incluindo a integração da região ao mercado digital europeu. No contexto da Cúpula, foi criado também o Secretariado Permanente de Trieste com o objetivo de concretizar oportunidades para atração de investimento privado.

Mapa da região dos Balcãs

Ao se considerar as instabilidades nos Balcãs e as suas consequências em potencial, pode-se afirmar que a região requer uma atenção especial da União Europeia. Nesse sentido, o Processo de Berlim, uma iniciativa voltada para dar continuidade ao procedimento de integração europeu, tem promovido discussões sobre a importância da cooperação entre a Comissão Europeia e os países da península balcânica. Sendo assim, o encontro em Trieste reflete os debates provocados no âmbito desse projeto.

Em contrapartida, há controvérsias no que tange ao sucesso da União Europeia na região. Nos últimos anos, os problemas sociais e políticos nos Balcãs têm avançado, a influência russa e turca na zona também cresce e o processo de adesão destes países à União Europeia tem ocorrido com bastante lentidão. As discussões sobre a integração foram iniciadas em 2003 e, no entanto, apenas a Croácia se tornou parte da união econômica até o momento, com a adesão tendo ocorrido em 2013, enquanto que a Sérvia e Montenegro apenas deram início às discussões formais sobre a associação, e ainda não há qualquer certeza sobre Albânia, Bósnia e Herzegovina, Kosovo e Macedônia se tornarem membros.

A política da União Europeia se baseia na promoção da paz no continente, por meio da cooperação intensiva. Dessa forma, como vem sendo defendido por autoridades e apontado por especialistas, o estreitamento dos laços de colaboração entre o Bloco e os Balcãs, situação que se dá com a continuidade do processo de integração, é de elevada importância para se alcançar o cumprimento dos objetivos de longo prazo e garantir maior estabilidade na região.

———————————————————————————————–

Fontes das Imagens:

Imagem 1Bandeiras dos países dos Balcãs e da União Europeia” (Fonte):

https://europeanwesternbalkans.com/2015/12/09/eu-and-the-balkans-battling-for-hearts-and-minds/

Imagem 2 Mapa da região dos Balcãs” (Fonte):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:AtlBalklang.jpg

Fábio Lopes de Sousa - Colaborador Voluntário

Bacharel em Relações Internacionais pelo IESB Centro Universitário de Brasília, tendo cursado parte da graduação na Universidad Autónoma de Guadalajara, México. Interessa-se excepcionalmente por Economia Política Internacional, Cooperação Internacional e Oriente Médio. Atua profissionalmente na Assessoria Internacional do Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.