LOADING

Type to search

Rússia apóia entrada brasileira no Conselho de Segurança da ONU

Lucas Leite 18 de Maio de 2011
Share

Em reunião com o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, o vice-presidente brasileiro, Michel Temer, assinou nesta terça-feira (17 de maio) “Acordos de Cooperação” entre os dois países. Em especial, uma declaração conjunta de Cooperação por meio da “Quinta da Comissão Brasileiro-Russa de Alto Nível de Cooperação” (CAN).

 

A declaração expressa a intenção de aumentar os laços em setores como educação, energia e agricultura, além de expressar a aprovação russa quanto à entrada do Brasil no “Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas” (CS da ONU), respondido pelo Brasil com apoio à entrada da Rússia na “Organização Mundial de Comércio” (OMC).

A declaração ressalta que o fortalecimento das relações entre os países é prioridade da política externa de ambos os Estados, sendo considerado tema estratégico e prioritário. A defesa do multilateralismo, desarmamento e não-proliferação, entre outros assuntos, também reforçaram o caráter cooperativo do documento.

Além disso, foram discutidas formas de promoção de grupos dos quais os dois países fazem parte como os BRICSBrasil, Rússia, Índia, China e África do Sul”, do “G-20” e outros Foros internacionais. De acordo com a declaração, “A parte russa considera o Brasil como um participante relevante e influente das relações internacionais e reafirma seu apoio à candidatura do Brasil como um merecedor e forte candidato a um Assento Permanente em um Conselho de Segurança das Nações Unidas ampliado”.

Quanto ao incremento do comércio russo-brasileiro, que já vem apresentando significativo aumento nos últimos anos, apesar de decréscimo causado pela “crise financeira de 2009”, firmou-se a meta de alcançar o montante de US$10 bilhões em relações bilaterais por ano.

Atentou-se ao fato de que os dois procurarão expandir a pauta do comércio bilateral e aumentar a troca de produtos com alto valor agregado. Neste sentido, ainda se afirmou a intenção de incentivar a troca de experiência e conhecimento em relação à ciência e tecnologia, no intuito já expresso de melhorar o valor dos produtos comercializados não apenas entre os dois países, mas também para os demais.

Outros pontos abordaram a “Cooperação Aeroespacial” com a retomada do projeto brasileiro de enviar satélites para o espaço com a ajuda dos russos; a maior integração entre “Bancos de Desenvolvimento” e “Fomento”; e parcerias estratégicas relacionadas aos eventos esportivos que acontecerão no Brasil e na Rússia nesta década.

 
Foto em destaque: VPR/Divulgação
 
Tags:

Deixe uma resposta