LOADING

Type to search

Rússia e China aprofundam as parcerias econômicas e tecnológicas

Share

O centro de inovação russo Skólkovo[1] e a empresa chinesa Cybernaut Investment Group[2] assinaram um Acordo de Criação de um Fundo Conjunto de US$ 200 milhões, informaram as empresas num comunicado nesta terça-feira, dia 21 de abril de 2015[3]. O acordo visa à criação de uma incubadora conjunta de empresas russo-chinesas, um centro de robótica e um fundo de capital de risco. Sob o acordo, pelo menos 15 empresas-residentes de Skólkovo terão acesso à incubadora, que realizará pesquisas e desenvolvimento.

O Fundo Conjunto RussoChinês vai se concentrar em empresas da área de Tecnologia da Informação (TI) e Robótica, bem como em Tecnologias Espaciais e de Telecomunicações. O Acordo foi assinado no âmbito do “Fórum RussoChinês Grandes Oportunidades para as Pequenas e Médias Empresas”, realizado entre os dias de 21 e 22 de abril em Pequim. O objetivo é o desenvolvimento conjunto, financiamento e comercialização de tecnologias inovadoras. As partes concordaram em prosseguir com a implementação do que foi acordado no terceiro trimestre de 2015.

Após a cerimônia de assinatura, o vice-primeiro-ministro russo Arkádyi Dvórkovich afirmou que “a China considera este projeto como uma boa oportunidade para promover os seus negócios na Rússia. As primeiras empresas chegarão [à Federação Russa] em cerca de 1,5 ou 2 anos[4].

Na segunda-feira, 20 de abril, o Centro Nacional de Estudo da Opinião Pública (ВЦИОМ, na sigla em russo)[4] realizou uma pesquisa segundo a qual 66% dos entrevistados de diferentes regiões da Rússia opinaram que a China pode substituir os países ocidentais como parceiro econômico do seu país. O Comissário russo para os Direitos dos Empresários, Borís Titóv, comentou a situação: “A nossa política em direção aos chineses é simples: manter todas as relações comerciais existentes com a União Europeia, mas criar um mercado do mesmo volume com a China[5]. Segundo ele, as sanções despertaram o interesse pela China – os empresários russos viraram para o vizinho oriental, embora houvesse interesse no passado e muitos projetos já tivessem sido implementados.

O sócio-gerente do grupo de investimento Cybernaut, Du Hao, comentou a cooperação entre a Rússia e a China: “Acho que isto é apenas o início. Tentamos trabalhar mais, investir mais na Rússia[6]. Segundo ele, a razão de a Cybernaut tomar a decisão de investir na Rússia foram “as boas tecnologias russas[6].

—————————————————————————————–

Imagem (Fonte):

http://ponedelnikmag.com/post/okolo-80-kompaniy-pokinuli-skolkovo

—————————————————————————————–

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://sk.ru/news/

[2] Ver:

http://www.cybernaut.com.cn/en/en_about_us.html

[3] Ver:

http://www.themoscowtimes.com/business/article/chinese-investors-to-launch-200-million-venture-fund-with-russias-skolkovo/519432.html

[4] Ver:

http://wciom.ru/

[5] Ver:

http://rt.com/business/251893-russia-china-skolkovo-fund/

[6] Ver:

http://rbth.co.uk/news/2015/04/21/russian-chinese_business_incubator_to_open_at_skolkovo_innovation_center_45383.html

Wladimír Tzinguílev - Bulgária

De nacionalidade Búlgara, é Mestre em Segurança Corporativa (2012) pela Universidade de Economia Nacional e Mundial (UNSS, Sófia). Atua na área de Segurança Pública, Segurança Corporativa e Diplomacia Corporativa com foco nos países do Leste Europeu, sendo referência em questões relacionadas a Península Balcânica, Turquia e Rússia. Atualmente é jornalista e editor de notícias internacionais da Televisão Nacional da Bulgária (BNT).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!