LOADING

Type to search

Rússia inicia manobras militares depois da escalada das tensões e início de conflito no Sudeste e Leste da Ucrânia

Share

Combates na entrada da cidade de Slaviánsk, reduto separatista do Leste da Ucrânia que viu a entrada de blindados do Exército nesta quinta, deixaram até cinco mortos, anunciou o “Ministério do Interior da Ucrânia”. Um comunicado do Ministério informa que “durante uma operação antiterrorista[1]suas forças, apoiadas pelo Exército, removeram três postos de controle ilegais que eram mantidos por grupos armados na parte mais ao norte da cidade[1].

O presidente russo Vladimir Putin afirmou que se asAutoridades de Kievrealmente utilizaram o Exército no leste da Ucrânia, então foi cometido umgrave crime[2] contra sua própria população. Declarou: “Se o atual regime de Kiev começou realmente a utilizar o exército contra a população no país é um crime muito grave contra seu próprio povo. (…). É uma operação repressiva que terá consequências para as pessoas que tomam estas decisões, em particular para as relações intergovernamentais[2].

A Rússia iniciou manobras militares perto da fronteira com a Ucrânia em resposta às “operações das forças ucranianas[3]contra os separatistas pró-russos e contra os exercícios da OTAN no “Leste Europeu”, informou o “Ministério da Defesa Russo”.

O ministro russo Serguéi Shóigu declarou: Fomos obrigados a reagir. A partir de hoje, iniciamos manobras de batalhões táticos nas zonas fronteiriças com a Ucrânia.(…). Se esta máquina militar não for detida, vai levar a um maior número de mortos e feridos. Exercícios planejados pelas forças da Otan na Polônia e nos países bálticos também não promovem a normalização da situação em torno da Ucrânia… Somos forçados a reagir a tal evolução da situação[3], apontou ele.

O Ministro confirmou que batalhões de grupos táticos de distritos militares do sul e do oeste vão realizar exercícios em regiões da Rússia que fazem fronteira com a Ucrânia. “Além disso, a Força Aérea vai realizar voos para treinamento de manobras ao longo das fronteiras do país[3], esclareceu[3].

Após a ação, o “Presidente Interino da Ucrânia”, Aleksandr Turchinov, exigiu que a Rússia retire suas tropas da fronteira e cesse as ingerências nos assuntos internos do país. “Exigimos da Federação da Rússia a cessação das intromissões nos assuntos internos da Ucrânia, as contínuas ameaças e a chantagem, e que retire suas tropas da fronteira oriental de nosso país, disse Turchinov[4].

Em visita a Washington, uma autoridade de defesa da França, general Pierre de Villiers, disse que quatro caças franceses se juntariam às patrulhas aéreas da “Organização do Tratado do Atlântico Norte” (OTAN) na “Região do Báltico” a partir de ontem, domingo. A declaração foi dada no contexto do aumento da ansiedade dos países da região, devido ao que consideram como intervenção russa na Ucrânia[5].

—————————

Imagem (Fonte):

http://novinite.bg/articles/68713/Kiev-prodaljava-s-aktivnata-faza-na-specoperaciyata-v-Iztochna-Ukrajna

—————————

Fontes consultadas:

[1]Ver:
http://www.huffingtonpost.com/2014/04/24/ukraine-separatists-killed_n_5204212.html

[2]Ver:
http://www.bbc.com/news/world-europe-27138300

[3]Ver:
http://www.bbc.com/news/world-europe-27138300

[4]Ver:
http://ria.ru/world/20140424/1005338652.html

[5]Ver:
http://rt.com/news/154668-france-planes-nato-patrols/

Wladimír Tzinguílev - Bulgária

De nacionalidade Búlgara, é Mestre em Segurança Corporativa (2012) pela Universidade de Economia Nacional e Mundial (UNSS, Sófia). Atua na área de Segurança Pública, Segurança Corporativa e Diplomacia Corporativa com foco nos países do Leste Europeu, sendo referência em questões relacionadas a Península Balcânica, Turquia e Rússia. Atualmente é jornalista e editor de notícias internacionais da Televisão Nacional da Bulgária (BNT).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!