LOADING

Type to search

Rússia lança ataques na Síria

CEIRI 2 de outubro de 2015
Share

Ontem, quinta-feira, dia 1o de outubro de 2015, jatos da Rússia mantiveram pelo segundo dia consecutivo os ataques aéreos na Síria, bombardeando as áreas controladas por uma Aliança de insurgentes, que inclui um grupo ligado à Al Qaeda, mas não os militantes do Estado Islâmico (EI), os quais o Governo Russo afirmou ter atingido.

Moscou declarou que havia lançado oito ataques aéreos com aviões de guerra Sukhoi24M e Sukhoi25 durante a noite, acertando quatro alvos do EI. No entanto, as áreas onde afirmou ter agido não estão sob controle do Estado Islâmico. O grupo rebelde Suqur alJabal, treinado pelos Estados Unidos na província de Idleb, disse ter sido alvo dos ataques russos. Quatro caças lançaram 10 mísseis em um campo de treinamento. Outros dois aviões russos atacaram a base[1].

Os rebeldes deste grupo receberam treinamento e equipamentos como parte de um Programa americano de 500 milhões de dólares para criar uma força que combata o grupo jihadista Estado Islâmico na Síria. O canal de televisão AlMayadeen[2] (próGoverno sírio), informou que jatos realizaram pelo menos 30 ataques contra uma “aliança insurgente”, conhecida como Exército da Conquista.

A aliança inclui a Frente Nusra, ramo sírio da Al Qaeda, mas não o EI, que declarou um califado em porções de território da Síria e do Iraque. O Exército da Conquista (Jaish alFatah) tem avançando contra as Forças do Governo no Noroeste da Síria nos últimos meses e tem o apoio de Países regionais que se opõem tanto ao presidente Bashar alAssad como ao Estado Islâmico.

Segundo o senador americano John McCain, os aviões russos atacaram na Síria grupos financiados e treinados pela CIA. Nas palavras do Senador, em declaração feita à rede de TV CNN, “Os ataques iniciais foram realizados contra indivíduos e grupos que foram financiados e treinados por nossa CIA[3], assegurando que serviram para mostrar que a real prioridade do presidente russo Vladimir Putin é dar apoio ao líder sírio Bashar al Assad.

Áreas onde o grupo étnico turcomeno vive em Homs e Hama foram alvo de ataques na quarta-feira, informou em comunicado a Assembleia Turcomena Síria, grupo baseado na Turquia. Somente no vilarejo de Telbiseah, próximo a Homs, 40 civis, incluindo turcomenos, foram mortos, acrescentou.

O Ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov, considerou “infundadas” as dúvidas dos países ocidentais sobre os bombardeios de Moscou contra o Estado Islâmico em seus primeiros ataques na Síria. A decisão da Rússia de se juntar à guerra com ataques aéreos em nome de Assad é um importante ponto de virada no envolvimento estrangeiro no conflito.

Os Estados Unidos estão liderando uma aliança separada, lançando ataques aéreos contra os combatentes do EI, o que significa que as superpotências inimigas da Guerra Fria agora estão empenhadas em combates aéreos num mesmo país pela primeira vez desde a Segunda Guerra Mundial. Ambos dizem ter como alvo um inimigo comum, o Estado Islâmico, mas também têm diferentes amigos e visões opostas de como resolver uma Guerra Civil de quatro anos, que já matou mais de 250.000 pessoas e levou mais de 10 milhões a abandonarem suas casas.

Washington e seus aliados se opõem tanto ao EI como a Assad, acreditando que ele tem de deixar o poder em qualquer acordo de paz. Moscou apoia o Presidente sírio e acredita que o seu Governo deveria ser a peça central dos esforços internacionais para combater os Grupos Extremistas. A Rússia afirma que seus ataques aéreos são mais legítimos do que os da aliança liderada pelos Estados Unidos, porque têm o aval de Assad, e mais eficazes porque podem coordenar esforços com as forças do Governo para localizar os alvos[4].
————————————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://kanal3.bg/news/world/middleeast/16425-Malnienosna-ataka:-Rusiya-UDARI-%20Islyamska-dardzava%20-po-vazduh-(SNIMKI-i-VIDEO)

————————————————————————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.bbc.com/news/world-middle-east-34416978

[2] Ver:

http://www.almayadeen.net/

[3] Ver:

http://edition.cnn.com/2015/10/01/politics/john-mccain-cia-russia-airstrikes/index.html

[4] Ver:

http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/europe/russia/11903702/Russias-Vladimir-Putin-launches-strikes-in-Syria-on-Isil-to-US-anger-live-updates.html

 

Deixe uma resposta