LOADING

Type to search

Rússia voltará a conversar com OTAN em julho

Share

Está agendado para o dia 4 de julho, no balneário de Sochi (Mar Negro), um encontro do “Conselho Rússia – OTAN” para tratar de assuntos pendentes que estão em pauta desde a reunião ocorrida em Lisboa, em novembro de 2010.

 

Segundo divulgado, os russos apresentarão relatórios sobre as reformas militares que ocorreram em suas “Forças Armadas”, mas, em especial, apresentarão sua perspectiva sobre a tecnologia de combate ao terrorismo e retomarão a discussão do acordo sobre o “escudo europeu antimísseis”.

Há várias divergências sobre o Projeto. Os europeus desejam dois sistemas autônomos com trocas de informação entre ambos, já os russos não entendem a razão da separação e pretendem que seja construído um sistema interligado, com a construção de um escudo com escala global, no qual eles serão parte importante, tanto que apresentaram proposta de instalar um sistema próximo de Rostov-na-Donu para interceptar lançamentos que possam vir de bases iranianas, usando da sua estação de radar nas imediações de Armavir para orientar a defesa.

Para esta proposta, ainda não recebeu respostas, principalmente dos EUA, que são os principais promotores do Projeto e até agora alegam que não há necessidade de integração do sistema de defesa com a Rússia, já que ele não é direcionado para este país.

Os russos desejam aproximação com a Europa, pois a cooperação com o Bloco europeu permitirá que a atração de investimentos planejada pelo presidente Dmitri Medvedev se desenvolva e tenha continuidade.

O governo Medvedev sabe que o processo de modernização do país depende de relações pacíficas e cooperativas com seus vizinhos, mais até que com os EUA, mas, para isso, precisam equacionar o problema OTAN, do qual os norte-americanos fazem parte, e querem que o governo Obama recue na pretensão de manter o Projeto original de instalação do “escudo europeu antimísseis” nas fronteiras russas.

Analistas apontam que as reuniões dos russos com os Europeus e a negociações com a OTAN também visam forçar os norte-americanos a cederem para, de forma indireta, avançar numa parceria com a Europa, pois parte significativa do capital que a Rússia pretende atrair para modernizar sua economia virá desta região.

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.