LOADING

Type to search

Senegal fecha a fronteira com Guiné após novo surto da “Febre Ebola”

Share

O Senegal fechou no último sábado a sua fronteira com a Guiné esperando que assim não se espalhe para o país o recente surto de Ebola que ocorre neste último. A doença já matou 70 pessoas[1] e já subiu para 111 o número de infectados na Guiné[2]. A descoberta de 11 pessoas contaminadas em países da fronteira sul da Guiné – “Serra Leoa” e Libéria[3] – ligou o alerta de Dakar quanto à possibilidade de que a contaminação se expanda também através das fronteiras do norte chegando assim ao território senegalês.

O Governo senegalês também fechou temporariamente um mercado que reúne milhares de pessoas provenientes de Guiné, “Guiné-Bissau” e Gâmbia na região de Kolda, sul do país[3].

O vírus Ebola causa a doença chamada “Febre Hemorrágica Ebola”. O seu primeiro surto foi em 1976, aparentemente ocorrido simultaneamente no Sudão e na “República Democrática do Congo[4]. A doença se espalha entre os humanos através de quaisquer fluídos corporais e é altamente infecciosa[5].

Tabela: Cronologia de casos passados de infecção pelo Ebola

AnoPaísCasosMortesTaxa de fatalidades
2012República Democrática do Congo572951%
2012Uganda7457%
2012Uganda241771%
2011Uganda11100%
2008República Democrática do Congo321444%
2007Uganda1493725%
2007República Democrática do Congo26418771%
2005Congo121083%
2004Sudão17741%
2003 (Nov-Dec)Congo352983%
2003 (Jan-Apr)Congo14312890%
2001-2002Congo594475%
2001-2002Gabão655382%
2000Uganda42522453%
1996África do Sul (ex-Gabão)11100%
1996 (Jul-Dec)Gabão604575%
1996 (Jan-Apr)Gabão312168%
1995República Democrática do Congo31525481%
1994Costa do Marfim100%
1994Gabão523160%
1979Sudão342265%
1977República Democrática do Congo11100%
1976Sudão28415153%
1976República Democrática do Congo31828088%

Fonte: Organização Mundial de Saúde[4].

Desde o surto da febre no ano de 2012, na “República Democrática do Congo”, não se tinha notícia de problemas com a doença. Todavia, a “Organização Mundial da Saúde” já se manifestou sobre o caso da Guiné na última semana e garantiu que não será necessário fazer para aquele país qualquer tipo de restrição a viagens ou negócios[6].

O grande problema do fechamento de fronteiras é que esse tipo de política desincentiva os países a relatarem aos seus vizinhos novos casos relacionados a essa ou a outras doenças.

————————————

Imagem (Fonte):

http://www.bbc.com/news/world-africa-13442051

————————————

Fontes Consultadas:

[1] Ver:

http://www.reuters.com/article/2014/03/29/us-guinea-ebola-idUSBREA2S0JA20140329

[2] Ver:

http://www.smh.com.au/world/ebola-death-toll-in-guinea-rises-to-70-as-senegal-closes-border-20140330-zqom0.html

[3] Ver:

http://abcnews.go.com/Health/wireStory/senegal-closes-border-guinea-ebola-fears-23117196

[4] Ver:

http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs103/en/

[5] Ver:

http://www.news-medical.net/health/What-is-Ebola.aspx

[6] Ver:

http://www.afro.who.int/en/clusters-a-programmes/dpc/epidemic-a-pandemic-alert-and-response/outbreak-news/4065-ebola-haemorrhagic-fever-in-guinea-25-march-2014.html

——————————————

Ver também:

http://www.scmp.com/lifestyle/technology/article/1460373/scientists-are-closing-drugs-may-stop-deadly-ebola-virus

Jaime Almeida - Colaborador Voluntário

Bacharel em Relações Internacionais pelo Centro Universitário Jorge Amado (2009) onde coordenou o Observatório de Relações Internacionais e apresentou, como trabalho de conclusão de curso, a monografia "O colapso de Estados e a sociedade internacional: causas, consequências e a questão somali". Bacharel em Direito pela Universidade Católica do Salvador (2011). Bacharelando em Ciências Econômicas pela Universidade Federal da Bahia. Advogado. Trabalhou no Consulado do Uruguai. Possui experiência em Organizações Não-Governamentais. Foi Professor de Língua Inglesa. Tem vivência na França e na África do Sul. No CEIRI NEWSPAPER colabora sobretudo com temas relacionados ao continente africano.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.