LOADING

Type to search

[:pt]Serviço Federal de Inteligência da Alemanha e a Espionagem em Massa[:]

Share

[:pt]

Em um relatório recém-publicado pela Comissária de Proteção de Dados alemã, Andrea Voßhoff, são descritas e condenadas as atividades de espionagem em massa do Serviço Federal de Inteligência da Alemanha (BND, na sigla em alemão de “Bundesnachrichtendienst”) e repetidas tentativas de bloquear a averiguação decorrente das revelações de Edward Snowden.

Durante sua investigação, Andrea Voßhoff constatou uma série de atividades ilegais por conta do BND que desrespeitam a lei alemã. Além de repetidas tentativas negadas de acesso para a continuação da inspeção, que focou somente na central do BND em Bad Aibling, foram constatadas a criação de 7 bancos de dados, sem ordem hierárquica, que, de acordo com a lei alemã, só poderiam ser criados e/ou utilizados após consultar a Comissária de Proteção de Dados, o que, segundo a Comissária, não foi feito e, portanto, os bancos de dados devem ser deletados imediatamente.

Outras irregularidades também foram apontadas, como foi o caso de o então diretor do BND, Gerhard Schindler, ter alegado, durante o Comitê de Inquérito Parlamentar Federal, criado depois das revelações de Edward Snowden, em 2013, que a base do BND de Bad Aibling somente interceptava as comunicações de zonas de riscos, algo que a Comissária caracterizou como mentira, já que foi observada a interceptação de comunicações de cidadãos alemães e de países não europeus. Além disso, Andrea Voßhoff também constatou a atuação do BND em conjunto com a NSA, Agência de Segurança Nacional norte-americana, responsável pelo monitoramento em massa de cidadãos no mundo todo, o qual foi exposto por Edward Snowden.

Um dos programas de maior abrangência da NSA era conhecido como XKeyscore, que contava com centrais de coletas de dado no mundo todo e funcionava basicamente como um motor de buscas como o Google, porém exibia todos os resultados de uma  pessoa, independe se eram de origem pública, como uma postagem no Facebook ou Twitter, ou de origem pessoal, como e-mails, fotos, mensagens etc. 

A comissária Andrea Voßhoff constatou que o BND atuou em conjunto com a NSA, usando o software da Agência norte-americana para fazer buscas, enquanto fornecia dados coletados pelo BND. O seu relatório  foi publicado e condena as atividades do BND, no entanto, a Agência de Inteligência alemã recentemente recebeu 300 milhões de euros para a compra de novos equipamentos e o Governo já escreveu uma Lei de reforma que, além de legalizar a atuação do BND, também expande seus poderes

———————————————————————————————–                    

ImagemBad Aibling Station” (FonteBy Dr. Johannes W. Dietrich / Eigene Photographie mit MINOX 35 GT [Public domain or CC BY 2.0 (http://creativecommons.org/licenses/by/2.0)], via Wikimedia Commons):

https://commons.wikimedia.org/wiki/File%3ABad_aibling_station_3.jpg

[:]

Breno Pauli Medeiros - Colaborador Voluntário Júnior

Mestrando em Ciências Militares pela Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME). Formado em Licenciatura e Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Desenvolve pesquisa sobre o Ciberespaço, monitoramento, espionagem cibernética e suas implicações para as relações internacionais. Concluiu a graduação em 2015, com a monografia “A Lógica Reticular da Internet, sua Governança e os Desafios à Soberania dos Estados Nacionais”. Ex bolsista de iniciação científica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), período no qual trabalhou no Museu Nacional. Possui trabalhos acadêmicos publicados na área de Geo-História e Geopolítica.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá!