LOADING

Type to search

Setor manufatureiro mexicano atinge melhor índice em 16 meses

Share

De acordo com as informações divulgadas pela IHS Markit Ltd.*, nesta segunda-feira (dia 2 de outubro), a produção manufatureira mexicana atingiu o seu maior índice de produção dos últimos 16 meses (Índice de Gerentes de Compras PMI), de 52,2 pontos em agosto para 52,8 em setembro, marcando uma forte melhora do setor.

Logo da IHS Markit, uma empresa com sede em Londres

Esta análise é baseada em dados coletados mensalmente de respostas dadas aos questionários enviados aos executivos de compras de mais de 300 empresas de fabricação, refletindo no atual percentual de crescimento, comparado com o mês anterior.

Tal desenvolvimento acelerado ocorreu divido à criação de empregos adicionais e pelo aumento das compras de insumos. Por outro lado, os baixos níveis de estoque nas mãos dos fornecedores, aliado à subida dos preços dos materiais importados, levaram a um aumento mais acentuado nos custos dos produtos. Como consequência, os produtores aumentaram novamente os seus próprios preços de venda.

Mesmo assim, os fabricantes mexicanos mantiveram sua visão otimista das perspectivas de crescimento e declararam que a modernização das máquinas, a força da demanda e o lançamento de produtos são os principais motivadores da confiança do setor.

A empresa mexicana ‘La Giralda’ dedicada à fabricação de doces é conhecida pela produção de toneladas de doces gomosos e chocolates diariamente

As empresas se beneficiaram de uma recuperação acelerada dos novos projetos e, de fato, o crescimento geral das encomendas recuperou seu nível mais alto desde maio de 2016. Da mesma forma, a demanda foi fortalecida no mercado interno e no exterior no mês de setembro, embora os novos empregos totais tenham avançado a um ritmo mais rápido do que os novos negócios oriundos do mercado externo.

Em resposta ao ambiente de demanda melhorada, os fabricantes mexicanos intensificaram sua produção pelo quinto mês consecutivo. Assim, a produção subiu a um ritmo sólido. Para lidar com o aumento da carga de trabalho, algumas empresas contrataram pessoal adicional em setembro, embora a taxa global de criação de emprego tenha sido moderada e a mais lenta desde maio. Contudo, o crescimento do emprego foi insuficiente e não conseguiu evitar outra acumulação do número de desemprego.

Segundo Pollyanna de Lima, economista do IHS Markit, a recuperação do crescimento registrado nos últimos dois meses culmina com um mês de setembro que encerra um excelente trimestre. Isso sugere que o setor de manufatura poderá contribuir positivamente para o crescimento do PIB no terceiro trimestre, que provavelmente ultrapassará sua modesta marca de 0,6%, registrada no segundo trimestre.

———————————————————————————————–                    

Notas:

* De acordo com a Bolsa de Valores Nasdaq, a IHS Markit é líder global em soluções críticas, análises e informações para indústrias e mercados chave com forte influência em economias ao redor do mundo. Suas análises e informações subsidiam o processo de tomada de decisão de empresas e governos em diversos setores como aeroespacial, defesa e segurança; automotivo; químico; energético; marítimo e comercial; tecnológico; e manufatureiro.

———————————————————————————————–                    

Fontes das Imagens:

Imagem 1Trabalhadores são retratados durante a fabricação de peças para barcos” (Fonte):

http://www.gettyimages.com/license/842497054

Imagem 2Logo da IHS Markit, uma empresa com sede em Londres” (Fonte):

https://en.wikipedia.org/wiki/IHS_Markit

Imagem 3A empresa mexicana La Giraldadedicada à fabricação de doces é conhecida pela produção de toneladas de doces gomosos e chocolates diariamente” (Fonte):

http://www.gettyimages.com/license/846604078

Tainan Henrique Siqueira - Colaborador Voluntário

Mestrando em Direito Internacional pela Universidade Católica de Santos. Graduado em Relações Internacionais pela Universidade Católica de Santos. Experiência acadêmica internacional na Cidade do México e atuação profissional no Consulado do Panamá e no Turismo Nuevo Mundo. Concluiu trabalho de extensão sobre Direitos Humanos e Refugiados, iniciação científica na área do Direito Internacional e da Política Externa Brasileira, sendo esta segunda iniciação premiada em terceiro lugar entre as áreas de ciências humanas e ciências sociais aplicadas da UniSantos em 2015. Atuou como Monitor na disciplina de Teoria das Relações Internacionais­I, durante o último semestre de 2015. Atualmente é monitor e pesquisador do Laboratório de Relações Internacionais da UniSantos em parceria com o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas (LARI­IPECI), onde auxilia no desenvolvimento de projetos semestrais pautados por três frentes de pesquisa: 1) Direitos Humanos, Imigração e Refugiados; 2) Política Internacional e Integração Regional; e 3) Relações Internacionais, Cidades e Bens Culturais. Tem objetivo de seguir carreira acadêmica.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.