LOADING

Type to search

Share

O final do século XX e o início do século XXI assistiram ao fenômeno do “aquecimento global” e desde então a ecologia passou a ser parte da agenda de discussão internacional. De acordo com o “Instituto de Eletrotécnica da USP”, no último século a temperatura global subiu em média 0,4ºC e 0,8ºC e a década de 1990 foi a mais quente do século XX, sendo 1998 o ano mais quente desse espaço de dez anos.  De acordo com o físico e professor José Goldemberg o impacto da população sobre a Terra cresceu 16 vezes nos últimos 100 anos, o que transformou a ação do homem “numa força de proporções geológicas”.

 

A partir da preocupação com o meio ambiente, especialistas do tema ecologia e cientistas começaram a buscar por soluções que iriam deixar de agredir a natureza e poderiam manter o mesmo nível de conforto e desenvolvimento da sociedade atual. Pensando nisso, em como uma grande marca pode fazer com que seus produtos se enquadrem nos termos de responsabilidade ambiental, a Nike desenvolveu uma tecnologia que foi colocada nos gramados já na “Copa do Mundo de Futebol de 2010”: as camisas das maiores seleções nacionais do mundo foram produzidas com “garrafas pet” recicladas.

Na “Copa do Mundo da África do Sul” as seleções do Brasil, Holanda, Portugal, Estados Unidos, Coréia do Sul, Austrália, Nova Zelândia, Sérvia e Eslovênia entraram em campo vestindo uma camisa feita de poliéster reciclado, sendo que cada camisa usava em média 8 garrafas e o uniforme completo tinha, aproximadamente, 13 “garrafas pet” recicladas para sua confecção. Além da reciclagem de 13 milhões de garrafas plásticas, quantidade suficiente para cobrir 29 campos de futebol, a produção do poliéster reciclado ainda economiza 30% de energia quando comparada à produção do poliéster virgem.

Esse ano, as camisas feitas desse material entrarão em campo mais uma vez. As cinco seleções patrocinadas pela empresa americana que disputarão a Eurocopa (Polônia, França, Portugal, Croácia e Holanda) terão suas camisas produzidas com a mesma tecnologia, agora mais avançada, pois as camisas já utilizam 96% do material reciclado, por isso significando que 13 garrafas são usadas na produção de cada uniforme.

Essa tecnologia verde dentro dos campos de futebol não é mais exclusividade das grandes seleções, nessa sexta feira (4 de maio de 2012) o Corinthians apresentou seu novo uniforme, que além de ter a mudança estética, também teve mudança em seu material. De acordo com o representante da Nike na “América Latina”, Mário Andrada, a confecção do novo uniforme corinthiano retirou do lixo 120 milhões de “garrafas pet”. A partir de agora, o uniforme do Corinthians também é ecologicamente correto.

—————————–

Fontes:

* Ver “Revista do ‘Fórum de desenvolvimento sustentável’” publicada juntamente com a revista Época. Mais informações no site:

www.forumsuatentavel.com.br

—————————–

Ver também:

http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2012/05/04/corinthians-apresenta-novos-uniformes-feitos-com-reciclagem-de-garrafas-pet.htm

Ver também:

http://nikemedia.com.br/2010/02/26/alto-desempenho-e-impacto-ambiental-reduzido-estao-juntos-nos-uniformes-das-selecoes-nike-na-copa-2010/

Ver também:

http://www.embalagemmarca.com.br/2012/04/nike-lanca-nova-linha-de-camisas-feitas-com-pet-reciclado/

Tags:

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.