LOADING

Type to search

Tensão em contínuo crescimento na Líbia

Share

Conforme muitos analistas previram, as divergências e antagonismos essenciais existentes entre as lideranças e grupos que se uniram para compor a oposição que derrubou Muammar Kadhaffi está levando ao aumento da tensão e permitindo a continuidade da violência no país, embora agora de maneira dispersa.

Segundo vem sendo disseminado na mídia internacional, o diálogo entre as correntes políticas, principalmente entre as duas mais importantes, os liberais, corporificados na “Aliança das Forças Nacionais” (AFN) e os islamitas do “Partido da Justiça e Construção” (PJC) está tenso e tendendo à ruptura, já que, de acordo com notas divulgadas em jornais, vem sendo criado um impasse pela crescente argumentação em prol da exclusão e marginalização de grupos. Pelo divulgado, esta postura pretende ser instituída oficialmente pelo PJC numa lei de exclusão política para ser aprovada no “Congresso Nacional Geral” (Assembleia Constituinte), recentemente eleito.

A AFN está preocupada com a situação e vem buscando aliar-se aos independentes para poder fazer frente a onda de impasses que se aproxima e apresentou declaração oficial à imprensa sobre a situação: “com tristeza e pena a campanha injusta levada a cabo contra si por algumas forças políticas e personalidades públicas que exploram os media e outros meios de comunicação, incluindo públicos”*, está sendo feita para fazer passar no Congresso uma Lei que visa “negar a algumas personalidades políticas o seu direito constitucional ainda que isto se faça em detrimento da reconciliação nacional que é a prioridade da revolução desde o início”*.

Observadores apontam que o situação tende a piorar, uma vez que além dos impasses políticos que vem se dando dentro das instituições do Estado líbio, a violência também tem crescido na sociedade, por meio dos grupos paramilatares (Milícias) que tomaram posse do arsenal de armamentos do Regime Kadhaffi e estão atacando tanto os demais grupos quanto as tropas do Governo.

Os observadores ressaltam que a principal tarefa para tentar normalizar a Líbia e reorganizá-la será a Promulgação de um Constituição democrática e inclusiva, para gestar instituições fortes e capazes de produzir ação coletiva contra os vários grupos que ainda atuam no país.

 

Segundo apontam estes grupos precisam ser controlados por uma frente unida, já que eles são diversos e atuam com focos múltiplos, uma vez que alguns desejam mudanças mais radicais e acham que não foram contemplados, outros querem o retrocesso da situação, alguns a desejam a divisão da Líbia, sob o argumento da autonomia, e os outros querem vinganças, por várias razões.

Segundo apontam os analistas internacionais, a Constituição e o diálogo político serão os únicos instrumentos para impedir a fragmentação do país, ou que novas ondas de violência ocorram, as quais, conforme foi dito, emergirão sem foco comum, dispersos em várias áreas e tendências, criando a imagem de uma ambiente de total descontrole e brutalidade disseminada.

————————–

Fonte:

* Ver:

http://www.africa21digital.com/politica/ver/20028073-liberais-e-islamitas-em-rota-de-colisao-na-libia

Tags:
Marcelo Suano - Analista CEIRI - MTB: 16479RS

É Fundador do CEIRI NEWSPAPER. Doutor e Mestre em Ciência Política pela Universidade em São Paulo e Bacharel em Filosofia pela USP, tendo se dedicado à Filosofia da Ciência. É Sócio-Fundador do CEIRI. Foi professor universitário por mais de 15 anos, tendo ministrado aulas de várias disciplinas de humanas, especialmente da área de Relações Internacionais. Exerceu cargos de professor, assessor de diretoria, coordenador de cursos e de projetos, e diretor de cursos em várias Faculdades. Foi fundador do Grupo de Estudos de Paz da PUC/RS, do qual foi pesquisador até o final de 2006. É palestrante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG-RS), tendo exercido também os cargos de Diretor de Cursos e Diretor do CEPE/CEPEG da ADESG de Porto Alegre. Foi Articulista do Broadcast da Agência Estado e do AE Mercado (Política Internacional), tendo dado assessoria para várias redes de jornal e TV pelo Brasil, destacando-se as atuações semanais realizadas a BAND/RS, na RBS/RS e TVCOM (Globo); na Guaíba (Record), Rádioweb; Cultura RS; dentre vários jornais, revistas e Tvs pelo Brasil. Trabalhou com assessoria e consultoria no Congresso Nacional entre 2011 e 2017. É autor de livros sobre o Pensamento Militar Brasileiro, de artigos em Teoria das Relações Internacionais e em Política Internacional. Ministra cursos e palestra pelo Brasil e no exterior sobre temas das relações internacionais e sobre o sistema político brasileiro.

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.