LOADING

Type to search

Share

Uma série de acontecimentos reverteu as negociações entre a Sérvia e Kosovo para o reconhecimento final de Kosovo como Estado independente. No dia 26 de setembro, o Presidente da Sérvia, Tomislav Nicolic, disse que seu governo “não pode escolher entre  Kosovo e a Europa[1], contrariando expectativas anteriores de que a perspectiva de entrada da Sérvia na “União Europeia” poderia acelerar o acordo final entre Belgrado (capital da Sérvia) e Pristina (Capital de Kosovo). Durante seu pronunciamento na Assembléia Geral das Nações Unidas”, ele declarou que seu país não reconhece nem de jure nem de facto a independência do Kosovo e irá barrar qualquer tentativa deste ingressar em organismos internacionais[2].

No entanto, Nicolic mencionou que isso não significa o fim do contato entre os dois países, pois acordos anteriores de entendimento político deveriam ser honrados. Mesmo assim, o cenário político da região foi tomado por pessimismo. O primeiro-ministro kosovar, Hashim Thaçi, declarou que o processo de negociação provavelmente tomará anos e que Pristina tem paciência para esperar[3].

Dias após as declarações, um incidente no norte de Kosovo aprofundou o mal-estar na região. Uma granada de mão foi lançada contra uma delegacia de um bairro majoritariamente sérvio deixando um ferido. Alexander Vulin, ministro da Sérvia encarregado de assuntos para o Kosovo, disse que o incidente mostra que Pristina não tem controle sobre a segurança e a comunidade internacional deveria continuar com presença militar na região[4].

Os problemas culminaram na decisão de Kovoso de não ratificar a visita do Primeiro-Ministro sérvio, Ivica Dacic, e de toda a delegação sérvia ao norte do território kosovar, até o fim das eleições que ocorrerão no país no início de novembro. Dacic visitaria a minoria sérvia residente na cidade de Strpce, que se prepara para realizar suas eleições municipais[5].

A visita do primeiro-ministro sérvio serviria como uma mensagem de apoio de Belgrado em relação à integração de habitantes da minoria sérvia à população de Kosovo. Tal situação desagradou fortemente alguns quadros do governo sérvio. O secretário-geral do governo em Belgrado, Veljko Odalovic, afirmou que a atitude de Pristina foi “arrogante” e isto contribui para obstaculizar a regularidade das negociações[6].

Aleksandar Vucic, vice primeiro-ministro da Sérvia, disse que a atitude de Pristina é irracional e ridícula[7]. Por sua vez, o ministro de Relações Exteriores do Kosovo, Enver Hoxhaj, declarou que a posição de Pristina é final e durará até o fim das eleições municipais no país. Contudo, outra ministra do governo afirmou que somente a delegação de Dacic foi vetada, não havendo impedimento para outros enviados de Belgrado[8].

Após o primeiro-ministro Dacic declarar que não teria interesse em continuar em negociações com Pristina caso a “União Européia” não se manifestasse claramente contra as atitudes do governo do Kosovo, a “Alta Representante da União Européia para Assuntos Estrangeiros”, Lady Catherine Ashton, convocou uma reunião com os representantes dos dois governos para tentar desarmar o mal-estar entre os países[9].

A crise atual é mais uma das inúmeras crises políticas que se sucederam na relação entre os países desde o fim da “Guerra do Kosovo”, em 1999.  Em abril de 2013, um importante passo na relação entre a Sérvia e sua ex-província foi dado quando Belgrado reconheceu a legitimidade do controle de Pristina em diversos campos como a segurança nacional e o patrulhamento de fronteiras, no maior avanço no status quo regional desde a declaração unilateral de independência do Kosovo, em 2008[10].

————————

Imagem (Fonte):

http://blogs.r.ftdata.co.uk/beyond-brics/files/2013/09/dacic_press111012b.jpg

————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://online.wsj.com/article/SB10001424052702303796404579101491658824468.html

[2] Ver:

http://www.b92.net/eng/news/politics.php?yyyy=2013&mm=09&dd=26&nav_id=87789

[3] Ver:

http://online.wsj.com/article/SB10001424052702303796404579101491658824468.html
[4]Ver: http://www.b92.net/eng/news/crimes.php?yyyy=2013&mm=09&dd=30&nav_id=87820

[5] Ver:

http://dalje.com/en-world/serbias-pm–ban-to-visit-kosovo-direct-obstruction-of-brussels-agreement/486090;http://www.reuters.com/article/2013/10/04/us-serbia-kosovo-eu-idUSBRE9930MC20131004

[6] Ver:

http://inserbia.info/news/2013/10/ensure-regularity-of-kosovo-elections-promptly-odalovic/

[7] Ver:

http://inserbia.info/news/2013/10/serbia-will-not-be-humiliated-aleksandar-vucic-on-kosovo-decision/

[8] Ver:

http://www.b92.net/eng/news/politics.php?yyyy=2013&mm=10&dd=03&nav_id=87872

[9] Ver:

http://inserbia.info/news/2013/10/i-am-not-blackmailing-european-union-ivica-dacic/

[10] Ver:

http://eeas.europa.eu/top_stories/2013/190413__eu-facilitated_dialogue_en.htm

Leonel Victor Soares Caraciki - Colaborador Voluntário

Mestre em História pelo Programa de Pós-Graduação em História Social - UFRJ. Realiza Especialização em Relações Internacionais pela PUC-RJ.

  • 1

Deixe uma resposta