LOADING

Type to search

Turquia resiste em interceder contra o Estado Islâmico

Share

A Turquia entrou em combate na região de fronteira com a Síria ameaçada por terroristas do Estado Islâmico (EI), mas atacou justamente os curdos que tentam resistir ao grupo extremista. Quando os turcos olham para o outro lado da fronteira, enxergam dois inimigos do seu país: o Estado Islâmico e os curdos. A diferença é que, na guerra contra os extremistas, os curdos são aliados do Ocidente.  

Isso pode aumentar os protestos contra a inércia da Turquia na luta contra o EI. A coalizão liderada pelos Estados Unidos reforçou os bombardeios aéreos em Kobane, em uma ação que ajuda os curdos. Foram 21 ataques entre os dias 13 e 14 de outubro, segundo o Governo americano. Nesta terça-feira, dia 14 de outubro, Barack Obama se reuniu com chefes militares dos países que integram a coalizão[1].

Até o momento, as Forças Armadas da Turquia, a segunda maior força militar da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), permanecem do outro lado da fronteira, próxima a Kobane. E o país tem impedido que combatentes curdos cruzem para a Síria para se juntar à luta contra os membros do Estado Islâmico, apesar de o Parlamento turco já ter autorizado uma ação militar contra os jihadistas no Iraque e na Síria. Ressalte-se que, se conseguir controlar Kobane, o domínio do grupo jihadista alcançará um longo trecho de 900 km na fronteira entre os dois países.

A divisa tem sido a principal rota de entrada de combatentes estrangeiros que chegam à Síria para lutar contra o regime do presidente sírio Bashar al-Assad, em meio a uma guerra civil que já dura mais de três anos, e para o contrabando de petróleo dos campos controlados pelo EI. Cerca de 400 pessoas morreram e mais de 160 mil sírios, em sua maioria curdos, fugiram da cidade nas últimas três semanas, quando o EI lançou uma ofensiva para tomá-la.

Para exemplificar a forma como até o momento a Turquia tem tratado o problema, em setembro, quando o EI avançou sobre a cidade de Kobane, no Curdistão sírio, a polícia turca entrou em confronto com curdos turcos que queriam atravessar a fronteira para ajudar seus correligionários[2].

—————————————————————————

Imagem (Fonte):

http://www.cross.bg/tyrtziya-raiis-durzhava-1434733.html#axzz3GEvgWCOs

—————————————————————————

Fontes consultadas:

[1] Ver:

http://time.com/3507187/turkey-kurdish-rebels-pkk-isis-kobrani/

[2] Ver:

http://www.foreignpolicy.com/articles/2014/10/10/what_s_stopping_turkey_from_saving_kobani_islamic_state_kurds

Wladimír Tzinguílev - Bulgária

De nacionalidade Búlgara, é Mestre em Segurança Corporativa (2012) pela Universidade de Economia Nacional e Mundial (UNSS, Sófia). Atua na área de Segurança Pública, Segurança Corporativa e Diplomacia Corporativa com foco nos países do Leste Europeu, sendo referência em questões relacionadas a Península Balcânica, Turquia e Rússia. Atualmente é jornalista e editor de notícias internacionais da Televisão Nacional da Bulgária (BNT).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.