LOADING

Type to search

Ucrânia garante US$ 250 milhões para base de lançamento no Maranhão

Share

Em visita ao “Ministério da Defesa” brasileiro, o ministro da Defesa da Ucrânia, Mykhailo Bronislavovych Yezhel, anunciou, no dia 26 de setembro, que a Ucrânia integralizará sua parte da sociedade na “Alcântara Cyclone Space” (ACS), empresa binacional criada para comercialização e operação de foguetes e satélites a partir de seu centro de lançamento em Alcântara, localizado no Estado do Maranhão, região Nordeste do Brasil. “Já temos os recursos, da ordem de US$ 250 milhões, que serão investidos a partir de outubro próximo. Também estamos abertos a transferir tecnologia para um novo lançador de satélites, o Cyclone 5, que será produzido em conjunto com o Brasil”,* informou o Ministro ucraniano.

 

http://www.youtube.com/embed/XzCSvaKXxws O ministro da Defesa brasileiro, Celso Amorim, afirmou que a maior parte do programa está sob controle da “Agência Espacial Brasileira”. O “Ministério da Defesa” tem apenas uma pequena participação neste processo.

A comitiva ucraniana que esteve no Brasil em setembro incluiu representantes das maiores empresas de defesa do país, como a “Antonov”, fabricante de aviões de carga, e da “Agência Ucraniana de Estaleiros”, holding que controla a indústria naval, responsável pela construção de todos os porta-aviões e metade da esquadra de superfície da ex-União Soviética.

Durante a reunião bilateral, o ministro ucraniano propôs a fabricação de navios-patrulha de 500 toneladas e destacou o interesse de seu país em participar da concorrência para a construção no Brasil de cinco navios escolta de 6.200 toneladas e de cinco navios-patrulha de 1.800 toneladas. Também levantou possibilidades de cooperação no desenvolvimento de mísseis terra-terra de 300 quilômetros de alcance e de mísseis antiaéreos.

Na ocasião o ministro Amorim ressaltou que o Brasil já investe em um avião cargueiro de projeto nacional, o KC-390, da Embraer; na produção de blindados sobre rodas, o Guarani, e de um navio-patrulha de 500 toneladas. Por outro lado, mostrou interesse no avião-patrulha e na possibilidade de cooperação com a Ucrânia para desenvolver um projeto de navio-aeródromo. “Nosso maior interesse é obter tecnologia para desenvolver a indústria nacional e já desenvolvemos inúmeros projetos”, destacou o ministro brasileiro.

Para avançar no estabelecimento de uma parceria estratégica biletral, foi realizada, em agosto de 2010, a “IV Reunião da Comissão Intergovernamental de Cooperação Brasil-Ucrânia”**. As atividades da Comissão foram conduzidas pelos seguintes “Grupos de Trabalho”: “Cooperação Econômico-Comercial, Industrial e Financeira”; “Cooperação na Área do Uso Pacífico do Espaço Exterior”; “Cooperação na Área Agrícola”; “Cooperação na Área Energética”; “Cooperação em Ciência, Tecnologia e Inovação”; “Cooperação na Área do Esporte” e “Cooperação na Área da Saúde”. Os trabalhos da Comissão transcorreram em ambiente construtivo e possibilitaram identificar oportunidades para o crescimento do comércio e investimentos bilaterais.

——————–

Fontes Consultadas:

*Ver:

https://www.defesa.gov.br/

**Ver:

http://www.itamaraty.gov.br/sala-de-imprensa/notas-a-imprensa/atos-assinados-por-ocasiao-da-iv-reuniao-da-comissao-intergovernamental-de-cooperacao-brasil-ucrania-2013-brasilia-27-de-agosto-de-2010

 Ver também:

http://www.alcantaracyclonespace.com/

 Ver também:

http://www.aeb.gov.br/indexx.php?secao=cooperacao_internacional

Tags:
Daniela Alves - Analista CEIRI - MTB: 0069500SP

Mestre em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bacharel em Relações Internacionais, jornalista e Especialista em Cooperação Internacional. Atualmente é CEO do Centro de Estratégia, Inteligência e Relações Internacionais (CEIRI) e Editora-Chefe do CEIRI NEWSPAPER. Vencedora de vários prêmios nacionais e internacionais da área dos Direitos Humanos. Já palestrou em várias cidades e órgãos de governo do Brasil e do Mundo sobre temas relacionados a profissionalização da área de Relações Internacionais, Paradiplomacia, Migrações, Tráfico de Seres Humanos e Tráfico de órgãos. Trabalhou na Coordenadoria de Convênios Internacionais da Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo e na Assessoria Técnica para Assuntos Internacionais da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho do Governo do Estado de SP. Atuou como Diretora Executiva Adjunta e Presidente do Comitê de Coordenação Internacional da Brazil, Russia, India, China, Sounth Africa Chamber for Promotion an Economic Development (BRICS-PED).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.