LOADING

Type to search

Uruguai e Brasil avançam em integração bilateral e buscam reativar “Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul” (ZOPACAS)

Share

Dia 5 de Outubro, chanceler uruguaio Luis Almagro e seu homólogo brasileiro, Antônio Patriota, reuniram-se no Rio de Janeiro para avaliar avanços e nomear responsáveis pelas negociações do “Grupo de Alto Nível Brasil-Uruguai(GAN Brasil – Uruguai), criado em dia 31 de julho passado, pelos presidentes de Brasil e Uruguai, Dilma Rousseff e José Mujica, respectivamente.

 

Durante as reuniões semestrais, o GAN será o encarregado de consolidar o “Plano de Ação para o Desenvolvimento Sustentável e a Integração Bilateral que abarca as áreas de integração produtiva, livre circulação de mercadorias, serviços e pessoas, além dos setores de infraestrutura de transporte, ciência e tecnologia da informação.

Na reunião, Almagro destacou a importância dos “Acordos Bilaterais” no setor automotriz e náutico e instou a avançar nas áreas de energia eólica, biotecnologia, combate a desertificação, também em obter a máxima interconexão no setor elétrico e de transportes.

Sobre o MERCOSUL, o Chanceler uruguaio afirmou que Bloco viveseu melhor momento político devido à defesa da democracia, unanimidade relativa à suspensão do Paraguai e a incorporação da Venezuela”*.

Sobre a suspensão do Paraguai, o ministro Patriota declarou que esta não teve impactos para o seu povo e para a economia paraguaia, verificado no aumento do fluxo comercial que se registrou nos últimos seis meses.

Em comunicado de imprensa publicado pelo “Ministério das Relações Exteriores do Uruguai”, ambos os Chanceleres manifestaram seu interesse na reativação do “Fórum de Zona de Paz e Cooperação do Atlântico Sul (ZOPACAS), criado por iniciativa brasileira – num contexto de finalização da “Guerra Fria” – que levou à “Resolução 41/11” da Assembléia de 1986. O ZOPACAS é formado por Argentina, Brasil, Uruguai e 21 países africanos e têm como objetivos a promoção da  cooperação regional e a manutenção da paz e segurança no Atlântico Sul.

Na ocasião do encontro bilateral, o Itamaraty publicou: O Brasil consolidou-se nos últimos anos como o principal parceiro comercial do Uruguai. Em 2011, o comércio bilateral chegou a mais de US$ 3,9 bilhões, o que representou um aumento de 26,4% em relação ao ano anterior. Nos primeiros nove meses de 2012, o intercâmbio comercial entre os países atingiu US$ 2,88 bilhões, resultado de exportações brasileiras no valor de US$ 1,64 bilhão e de importações brasileiras no valor de US$ 1,24 bilhão**.

——————-

Imagens (Fontes):

[1] Encontro entre Dilma e Mujica (Wikipédia)

[2] Bandeira da ZOPACAS (Wikipédia)

———————–

Fontes consultadas:

* Ver:

http://www.mrree.gub.uy/frontend/page?1,inicio,ampliacion-ppal2,O,es,0,PAG;CONC;1961;39;D;reunion-de-ministros-almagro-y-patriota;1;PAG;

** Ver:

http://www.itamaraty.gov.br/sala-de-imprensa/notas-a-imprensa/visita-ao-brasil-do-ministro-de-relacoes-exteriores-do-uruguai-luis-almagro-rio-de-janeiro-5-de-outubro-de-2012

Tags:
Rafael Alvariza - Articulista Colaborador (Uruguai)

É mestrando em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS, Brasil) e Mestrando em Ciências Humanas - Opção Estudos Latino-americanos pela Faculdade de Humanidades e Ciências da Educação, UdelaR, e Diplomado em Cooperação Internacional pelo Centro Latino-Americano de Economia Humana (CLAEH, Uruguai). Bacharel em Relações Internacionais, formado pela Faculdade de Direito, Universidade da República (UdelaR, Uruguai). Entre outras atividades, foi colaborador no projeto “Inovação e Coesão Social no Mercosul” (Secretaria Executiva de Mercocidades com financiamento da União Européia) e Consultor Jr. na ONG “Iniciativas para la Cooperación Internacional, el Desarrollo y la Integración Regional” (INCIDIR, Argentina).

  • 1

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.